29 novembro 2007

Oferta de Emprego - CM SBA

A Câmara Municipal abre concurso externo de ingresso para provimento de:

2 Motoristas de Transporte Colectivos – Índice 175 (€ 571,81);
------------------------------------------------------


1 Técnico Profissional 2.ª Classe – Índice 199 (€ 650,23);
(ver aviso)

Sector : Biblioteca Municipal (documentação e arquivo)
Duração:
6 meses + renovações


Entrega de candidaturas: O requerimento de candidatura, dirigido ao Presidente da Câmara Municipal de S. Brás de Alportel, Rua Gago Coutinho n.º 1, 8150-151 S. Brás de Alportel, deverá ser entregue na Secção de Pessoal, no prazo de 10 dias úteis a contar a partir da data da publicação do aviso.

(Candidaturas de 26 de Novembro a 09 de Dezembro).

‘Conto do vigário’

Idoso foi burlado em dez mil euros

In: Correio da Manhã – Texto: Teixeira Marques Foto: Sandra Sousa Santos


Joaquim Silva, 80 anos, viúvo, residente no sítio da Gralheira, em São Brás de Alportel, foi burlado, em dez mil euros, por dois indivíduos, que o lesaram através de um ‘conto do vigário’.

Joaquim Silva diz ter ficado “atordoado e hipnotizado’ com a “bonita conversa” dos dois burlões.

Transportaram-no de São Brás a Quarteira onde o levaram ao banco, e ajudaram a levantar todo o dinheiro de uma conta à ordem. Depois, abandonaram-no na rotunda nascente de Quarteira, onde ficou à espera que o viessem buscar “para o almoço”, com um saco, que diziam estar cheio de dinheiro mas que só continha boletins de euromilhões.

Um familiar, que o procurava acabou por o encontrar e teve dificuldade em convencê-lo da burla e que não valia a pena estar à espera “dos amigos para o almoço”.

O idoso disse que “tinha ido à vila passear”, anteontem, de manhã, quando foi abordado por um indivíduo. “Explicou-me estar à procura de uma pessoa de confiança, capaz de tratar de uma promessa do pai. A entrega de uma fortuna a um pobre e eu era a pessoa ideal para tratar do assunto”, explicou o idoso. Ficou indeciso mas a chegada de outro burlão, que se ofereceu para tratar do assunto, desfez as dúvidas. Depois foram num Mercedes, ao banco, levantar o dinheiro. Joaquim Silva diz ter visto o segundo burlão entregar ao primeiro um envelope com dinheiro. “Atordoado ou hipnotizado, com a bonita conversa, aderi a entrar com a minha parte”, contou, desgostoso.

VIGARISTAS ENGANARAM O BANCO

Joaquim Silva tinha os dez mil euros numa conta à ordem no Millennium, de São Brás de Alportel, onde é bastante conhecido. Os burlões, para não correrem riscos, foram efectuar o levantamento na agência desse banco, em Quarteira.

Só um dos indivíduos acompanhou o idoso ao interior do banco. Com o bilhete de identidade disponibilizado pelo octogenário, um dos burlões apresentou-se ao balcão, dizendo que era vendedor de automóveis e que tinha vendido um carro a Joaquim Silva, pelo que necessitava saber o saldo da conta.

Com a informação prestada, requisitou um cheque de dez mil euros, que o idoso assinou. “Nem me deixou ver o dinheiro, pois foi à caixa e levantou a massa toda”, explica Joaquim Silva.

S. Brás sobre rodas

“São Brás sobre Rodas” - I edição

1 e 2 de Dezembro 2007

Pavilhão Municipal Dr.José de Sousa Pires

Programa síntese:

Sábado | 1 de Dezembro

10h00 > 13h00 / 15h00 > 20h30 - Hóquei em Patins [jogos]

Apresentações individuais de Patinagem Artística no Intervalo dos Jogos

21h00 - Patinagem Artística [Demonstração]


Domingo | 2 de Dezembro

10h00 - Hóquei em Patins [jogos]

11h30 - Velocidade IN DOOR [corridas]

14h00- Hóquei em Patins [jogos]

16h00 - Hóquei em Linha [Jogos e Demonstração]

17h30 – Hóquei em Patins [jogos]

19h30 | Sessão de Encerramento

28 novembro 2007

“Stands de Esquina” na mira das autoridades

GNR fiscaliza venda de automóveis
nos parques de estacionamento
Actividade comercial ilegal
na mira das autoridades locais


Segundo fonte próxima da GNR local, “O comércio paralelo tem vindo a ganhar força no concelho, sobretudo o venda de carros provenientes do estrangeiro. Está a vista de toda a gente, é fácil reconhece-los, estão estacionados um pouco por toda a vila com o papelinho na janela com um simples número de telefone para a “troca de dono”. Mas também sabemos que há esquemas mais elaborados, as matrículas estrangeiras, por exemplo, nomeadamente em carros da gama alta e de grande cilindrada da Alemanha, são um indicador que existe muito comércio paralelo no concelho. Identificar este novo tipo de comerciantes que desenvolvem a sua actividade sem sede, sem pagar impostos ou contribuições é missão das forças policiais.”

No âmbito desta fiscalização na passada terça-feira, foram removidas / apreendidas várias viaturas que se encontravam à venda nos estacionamentos públicos da vila e notificados / avisados alguns proprietários. A GNR local assegura que as acções de fiscalização são para continuar.

Oferta de Emprego - CM SBA

A Câmara Municipal publica (dia 25 de Novembro), no seu site (www.cm-sbras.pt) aviso para a contratação de pessoal a termo resolutivo certo:

2 Auxiliares Administrativos – Índice 128 (€ 418,24);
(ver aviso)

Sector de Recursos Humanos; Aguás e Saneamento
Duração:
6 meses + renovações

Entrega de candidaturas: O requerimento de candidatura, dirigido ao Presidente da Câmara Municipal de S. Brás de Alportel, Rua Gago Coutinho n.º 1, 8150-151 S. Brás de Alportel, deverá ser entregue na Secção de Pessoal, no prazo de 5 dias úteis a contar a partir da data da publicação do aviso.
(Candidaturas de 26 de Novembro a 03 de Dezembro).

27 novembro 2007

Condução sob o efeito do Álcool

Operação de Fim de Semana
GNR faz mais 3 detenções

No âmbito da fiscalização rodoviária efectuada ao fim-de-semana nas artérias do concelho, foram detidos mais 3 individuou por condução sobre o efeito do álcool nas estradas são-brasenses.

Os indivíduos detidos, de 22, 44 e 38 anos acusaram taxas de alcoolemia no sangue de 1,38, 1,84 e 2,57 gramas/litro, tendo todos sido presentes ao Tribunal.

Recordamos que no fim-de-semana anterior, tinham sido detectados e presentes a tribunal 2 indivíduos, sendo que um deles foi apanhado a conduzir ás 3.00 horas da manhã nas artérias da vila com uma taxa de 2.73 gr./ltr.

Segundo a GNR local, a fiscalização será mantida e reforçada aos fins-de-semana agora que se aproxima a época festiva.

25 novembro 2007

Bike Clube São Brás de regresso aos triunfos

em prova resistência no Redondo


A equipa do Bike Clube de São Brás/FreeBike demonstrou resistência ao vencer uma prova que decorreu no Redondo.

A equipa de São Brás participou no encontro, de duas e quatro horas de resitência, com três atletas.


O percurso teve a distância aproximada de 10 quilómetros, na maioria rolante, não permitindo o descanso dos participantes.

Lisandro Sousa, actual campeão de XCO, participou nas quatro horas de resistência, no escalão de juniores.

O jovem chegou a estar em quinto lugar mas, ao fim de duas horas, ressentiu-se e foi obrigado a abrandar o ritmo, terminando a prova no 12º lugar da geral absoluta.

Quem também alinhou na prova de quatro horas foi Irina Coelho actual campeã nacional de ciclismo e vice campeã nacional na vertente de BTT, no escalão de elites Femininas.

A atleta tomou a dianteira da corrida desde o inicio acabando por fazer 11 voltas ao percurso, sendo que o primeiro absoluto masculino executou apenas mais uma volta que a atleta feminina.


Na prova de duas horas, Rita Barriga actual campeã nacional XCO, no escalão de cadetes femininas, não deu qualquer hipótese às restantes adversárias tendo efectuado uma volta de diferença sobre a segunda e restantes classificadas.

24 novembro 2007

Piloto Sambrasense sagrou-se Campeão

Paulo Duarte foi o último a rir no Regional Sul


Acção e suspense foram os principais ingredientes da última prova do Campeonato Regional de Ralis Sul que acabou por consagrar a dupla Pedro Duarte/João Bento, num Peugeot 205 GTI.


Num rali que cumpria apenas as cinco primeiras classificativas da prova do Nacional, a José Merceano bastava terminar na 12ª posição para marcar encontro com o título, tal a sua vantagem pontual à partida. Mas, apesar das devidas cautelas, o piloto do Mitsubishi Lancer Evo IV não evitou três furos que, a partir da terceira especial, condenaram ao insucesso o seu principal objectivo, obrigando-o a abandonar.

Desta forma, Pedro Duarte não deixou de aproveitar a oportunidade para vencer o rali e chegar ao ceptro, numa prova onde também não teve a vida facilitada: «Desde um amortecedor traseiro partido ao facto de termos apenas pneus mistos e termos dado um toque no último quilómetro do derradeiro troço, de tudo de um pouco nos aconteceu», admitiu o piloto de S. Brás de Alportel.


Com muita sorte Pedro Duarte vence


Ainda que reunisse algum favoritismo para vencer a derradeira prova do Campeonato Regional de Rallyes Sul (CRRS), quase nada fazia prever que a equipa Pedro Duarte / João Bento (Peugeot 205 GTI) conquistasse o título de campeão, no entanto, face ao azar, ou falta de sorte que a dupla da Santauto – José Merceano / Francisco Pereira (Mitsubishi Lancer EVO IV) – teve, uma vez que furou três vezes e ficou sem rodas suplentes, a dupla de S. Brás de Alportel, com o mérito que lhe é devido, venceu a prova e sagrou-se campeã regional de rallyes 2007 vencendo também a Taça 2 Rodas Motrizes do CRRS.

23 novembro 2007

Liga dos Últimos - Serrano vs Sambrasense


Video foi uma "generosa" oferta do blog, "Os irredutíveis serranhos" que nos deixou a seguinte mensagem:





"Aqui temos o tão esperado video da Liga dos Últimos do passado dia 10 de Novembro... Fica aqui expressa a nossa solideriedade para com o pessoal do São Brás Blog, que não tinham necessidade de ver o "glorioso" Sambrazense apanhar 2 no "bucho" em frente de todo o país ..."


Obrigadinho pela solidariedade...

22 novembro 2007

Detidos em S. Brás

Condução sob efeito do álcool

Dois indivíduos foram detidos no passado fim-de-semana pela GNR de São Brás de Alportel por conduzirem veículos ligeiros sob a influência do álcool.

Um dos homens, de 39 anos, foi detectado a circular nas artérias da vila cerca das 3.00 horas da manhã com uma taxa de alcoolemia de 2,73 gr/ltr. (tinha suficiente álcool no sangue para deixar um homem “normal” com 80 kg. em coma alcoólico). O outro de 34 anos foi detectado nas Mealhas e acusou 1,9 gr/ltr. De álcool no sangue. Ambos foram presentes ao Tribunal de Faro.

OS PECADILHOS DE S.BRÁS

Todos nós sabemos o quanto S.Brás se desenvolveu nos últimos anos. A pacata vida de outrora onde todos se conheciam foi substituída por uma vila em franco crescimento urbanístico, industrial, comercial e cultural. Novas e permanentes construções, em geral, de boa qualidade, mais supermercados, mais bancos, etc...

Com a explosão da construção civil na última década, vieram também para S.Brás novos habitantes, quase sempre, casais jovens, muitas vezes, ainda sem filhos e a trabalhar fora da vila.

Diga-se, aliás, que a excelente localização geográfica de S.Brás de Alportel a poucos minutos da via do Infante e dos grandes centros urbanos envolventes, Loulé, Olhão, Tavira e Faro favorece a vinda desses novos habitantes.

S.Brás passa, pois, a ser uma vila dormitório onde as pessoas vêm essencialmente dormir, embora também já se constate um certo fluxo contrário de pessoas que vêm de Faro, Loulé, etc.. para vir trabalhar a S.Brás.

E as coisas até correm bem enquanto os filhos não nascem. O pior é o que vem a seguir. Até aos 3 anos só a Santa Casa da Misericórdia é que oferece vagas. Porém, a procura excede em muito a oferta disponibilizada por esta nobre instituição e, por isso, são muitas as crianças que ficam de fora. Como, por enquanto, ainda não existem alternativas, a solução acaba por ser sair de novo para Faro, Loulé, Olhão ou Tavira em busca das vagas inexistentes em S.Brás.

Esta situação leva a que esses casais se limitem mesmo a dormir só em S.Brás já que S.Brás nada mais lhes oferece nem em termos de trabalho, nem em termos de apoio aos seus filhos. Trata-se de um problema que não é exclusivo daqui. Infelizmente vivemos num país onde se promove e financia o aborto livre mas depois não se aposta no apoio à infância, através da criação de uma rede pública de ATL’s, creches, jardins de infância, etc..

É sabido que a Câmara Municipal tem um projecto que está já a ser implementado mas que, para além de tardio, é ainda, a meu ver, insuficiente. Seria necessário incentivar e apoiar a iniciativa privada neste campo, onde infelizmente a lei e a Segurança Social também não ajudam tal o número de requisitos e condições necessárias à abertura de um infantário privado.

Por outro lado, em termos de ocupação dos tempos livres, como já ouvi várias pessoas dizerem, S.Brás de Alportel é uma autêntica “pasmaceira”. Embora já existam actividades culturais e desportivas promovidas por várias associações e pela própria Câmara, inexiste ainda uma grande parque infantil para realização de jogos e brincadeiras semelhante ao complexo existente no parque da Alameda em Faro, os programas de cinema infantil, por exemplo, são descontínuos, ao contrário do que sucede com a Câmara Municipal de Loulé onde são permanentes; por sua vez, nas férias a capacidade das piscinas é também insuficiente para a procura, etc., etc.

Estamos perante uma crise de crescimento, onde muito já se vai fazendo, mas onde também muito mais se vai ter que fazer. Caso contrário, muitas das pessoas que antes vieram para cá, perante as fortes carências nesta área (sobretudo na área do apoio à pré-infância, onde 1 ou mesmo, no futuro, 2 instituições de apoio são ainda manifestamente insuficientes em face da procura crescente), ir-se-ão embora.

É pena que tal assim seja e infelizmente já se vai vendo alguns prédios novos com andares por vender e outros com placas a dizer “vende-se”. Faço votos sinceros para que se possa reagir a tempo antes que seja tarde demais.

Artigo de opinião publicado na edição de Novembro do jornal regional "Notícias de S.Brás".

P.S.- Depois da publicação do artigo e porque S.Brás é um meio onde todos se dão e se relacionam como de um família se tratasse, já me cruzei 2 vezes com o Sr. Presidente da Câmara com quem tive oportunidade de falar sobre o tema do meu artigo.

Numa conversa muito cordial, referiu nada poder fazer relativamente à falta de iniciativa privada na criação de creches e infantários privados e deu-me a conhecer algumas facetas e virtualidades das iniciativas camarárias já no terreno ou ainda em curso.

Sexta-feira, 16 de Novembro de 2007
Em, OS Homens, a Mula e o Pudim

21 novembro 2007

CAÇADORES E AMBIENTE DE MÃO DADAS


No passado dia 24 de Outubro, o Salão Nobre da Câmara Municipal de São Brás de Alportel acolheu a Sessão Oficial de Entrega de Donativos, pela Federação de Caçadores do Algarve, em resultado da Jornada de Limpeza 2007.

No passado mês de Maio, a Federação de Caçadores do Algarve realizou mais uma Jornadas de Limpeza da região, sob o tema “Dia Nacional dos Caçadores pelo Ambiente”, juntando cerca de 5.000 caçadores algarvios.

O Concelho de São Brás de Alportel integrou esta iniciativa, mediante a colaboração de muitos caçadores que “arregaçaram” as mangas e juntaram-se a esta missão cívica, pela preservação do meio ambiente. Todos os clubes de caça estiveram envolvidos nesta iniciativa.

Em resultado desta iniciativa foram recolhidas 700 de toneladas de lixo. Esta recolha que possibilitou desde logo um importante contributo para a limpeza dos habitats, serviu também fins de solidariedade, pois tal como em anteriores edições, o produto da venda dos metais recolhidos reverteu a favor de causas sociais na região.

Neste sentido, ao município de São Brás de Alportel foram atribuídos equipamentos domésticos (electrodomésticos) que a Câmara Municipal distribuiu a famílias carenciadas; bem como uma tenda destinada ao recém-criado agrupamento de Escuteiros de São Brás de Alportel.

A sessão contou com a presença do Presidente da Federação de Caçadores do Algarve, vereadores da autarquia e elementos dos clubes de caçadores do concelho.

Noticia e Foto em: http://cacipesca.blogs.sapo.pt/160232.html

20 novembro 2007

oo-boop-i-do
no Museu do Trajo
São Brás de Alportel





a Banda apresentou músicas dos anos 20, foi um delírio para o público.

ANJAF premiada

Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos


No âmbito do “Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos”, teve recentemente lugar uma cerimónia em Lisboa, no Auditório da Fundação das Comunicações, presidida pelo secretário de Estado Jorge Lacão, o distrito de Faro, representado pela Governadora Civil Isilda Gomes, recebeu um dos Prémios Regionais e Nacionais no certame “Igualdade na Diversidade”. A Associação Nacional de Jovens para a Acção Familiar foi premiada com um valor de 2.500 euros. Ainda que a referida associação esteja sedeada em Lisboa, tem um acordo de acção em São Brás de Alportel, no sentido de estimular a solidariedade entre jovens, família e comunidade.

Ana Fernandes - "Região Sul"

18 novembro 2007

1,6 milhões em luzes de Natal

Câmaras da região iluminam principais artérias

As câmaras do Algarve vão gastar cerca de 1,6 milhões de euros com a iluminação de Natal que vai animar as principais artérias dos seus concelhos, um valor semelhante ao do ano passado, com o objectivo de atrair visitantes e de dinamizar o comércio local.

Faro, que este ano inova com uma rampa de neve na praça da Pontinha, a partir de dia 24, é o primeiro concelho a inaugurar a iluminação de Natal, hoje à tarde, na zona da Baixa. O investimento em luzes na cidade é de 145 mil euros.

Albufeira, cujas luzes só serão acesas no início de Dezembro, é o concelho que mais aposta no embelezamento das principais artérias do concelho nesta época, investindo cerca de 300 mil euros. Seguem-se os concelhos de Portimão (242 mil euros), onde um dos principais atractivos será a pista de gelo com 300 metros quadrados na Alameda da Praça da República, entre 24 e 31 de Dezembro, e Vila Real de Santo António (230 mil euros), onde um sino com 22 metros de altura na Praça Marquês de Pombal promete reunir muitos visitantes.

A Câmara de Lagos vai investir 190 mil euros nas luzes de Natal do concelho, para criar o habitual cenário mágico desta época. Já em Loulé, que este ano celebra 20 anos de iluminação natalícia no concelho, serão investidos cerca de 170 mil euros. A inauguração das luzes acontece amanhã às 17h30.

Olhão aposta nas luzes sobretudo nas principais avenidas e na zona comercial, gastando este ano cerca de 85 mil euros, ligeiramente abaixo do valor de 2006, o que é justificado com alguma contenção, que também se nota noutras autarquias da região.

O concelho de Lagoa gasta cerca de 70 mil euros na iluminação de Natal, o mesmo do ano anterior. Tavira e Monchique ficam-se pelos 60 mil euros, valores idênticos aos de 2006. Aljezur investe cerca de 25 mil euros. Já as autarquias de Silves e Alcoutim apostam em material próprio para enfeitar as ruas das suas freguesias, não tendo um orçamento definido.

Não foi possível obter os valores que os concelhos de Castro Marim, Vila do Bispo.


São Brás “esconde” gastos na iluminação natalícia.
Avenida da Liberdade decorada por profissionais


Em São Brás de Alportel apesar das varias tentativas também não foi possível saber quanto vai ser gasto, sendo certo que algumas artérias da vila serão alvo de decoração feita por uma empresa especializada contratada para o efeito.

Também as habituais festas destinadas a crianças e idosos, concertos de Natal e a entrega de cabazes às famílias carenciadas têm continuidade assegurada no concelho sambrasense.

17 novembro 2007

17.º Aniversário do Machados



Marcado pelo tema: Campos de futebol
Campo António Coelho com fim à vista,

Autarquia promete relvado (novamente)


O 17º aniversário do GDC Machados, uma das equipas sensação do Distrital da 1ª Divisão, ficou marcado por intervenções em redor do campo António Coelho, com o clube a correr o risco de ficar sem o espaço para a prática desportiva.

Proprietários do terreno exigem a devolução do espaço onde se encontra implementado a infra-estrutura desportiva.

Nos últimos dias o filho de António Coelho, José Manuel Coelho, abordou a direcção do Machados no sentido do clube deixar o mais breve possível de utilizar aquele espaço, utilizado com a autorização do pai e onde foram feitos significativos investimentos e mais valias.

Esta decisão terá sido tomada pela família Coelho, devido a eventualidade destes puderem perder a propriedade dos terrenos em favor do GDC Machados. A utilização desses terrenos há quase 10 anos pelo grupo desportivo, poderá fazer com que o “empréstimo” se transforme numa “oferta” que a família Coelho não está disposta a fazer.

“Todos os melhoramentos foram feitos com conhecimento e autorização do proprietário que nos emprestou o terreno para a prática desportiva. Recentemente fomos surpreendidos, pelo filho, ex-presidente do clube, que pretende a nossa saída daquele espaço, uma abordagem que nos deixou bastante preocupados e apreensivos”, explicou o presidente António Rosa.


Câmara Municipal volta a garantir Machados vai ter relvado sintético Para jogar em 2008/09.


Presente nas festividades, e na ausência do presidente da Câmara Municipal, foi o vereador Vítor Guerreiro, que assegurou (novamente e pela 3.ª vez consecutiva em aniversários do Machados) que S. Brás de Alportel vai ter um relvado sintético.


“Na passagem de mais um aniversário do GDC de Machados, primeiro que tudo, quero elogiar todos aqueles que têm contribuído, de forma voluntária, para o crescimento deste clube, um orgulho no Concelho de S. Brás de Alportel”, estas as primeira palavras do vereador Vítor Guerreio, referenciando depois dois ilustres cidadãos de Machados que gratuitamente contribuíram para o crescimento deste clube, substituindo o anonimato da sua geografia por um vínculo significativo no desporto algarvio; António Carrascalão e António Coelho. O primeiro ofereceu o terreno para a sede e o segundo cedeu a utilização do espaço onde está instalado o campo de futebol. Daí a designação de campo de jogos António Coelho.

Tentando mostrando-se conhecedor da situação dos terrenos do campo de futebol do GDC Machados, Vítor Gonçalves, vereador do Desporto da Câmara Municipal de S. Brás de Alportel, vincou, na sua intervenção, que no decorrer do próximo ano vai ser construído um relvado sintético na sede de concelho que irá servir todas as associações. “Posso garantir que de hoje a um ano S. Brás de Alportel vai ter um campo de futebol de relva sintética. No orçamento de 2008 está reservado o valor de 400 mil euros para o campo de futebol a construir no Parque Desportivo. Obviamente que todos os outros espaços desportivos que existem no concelho, como é o caso do campo pelado de Machados, continuam a ser extremamente importantes, sobretudo para treinos. Creio que esta é uma boa notícia e no próximo ano já poderão desfrutar do novo equipamento, de relva sintética”.

16 novembro 2007

DOENÇA DE PARKINSON

CONFERÊNCIA EM SÃO BRÁS DE ALPORTEL

O Cine-Teatro de S. Brás recebe no dia 17 de Novembro pelas 14:30 horas a conferência “Funcionalidade na doença de Parkinson – Intervenção da Equipa de Reabilitação”.

Esta conferência tem como oradores a fisiatra Margarida Sizenando, o psicólogo Marco Lopes, o fisioterapeuta Hélio Gonçalves, a terapeuta da fala Irina Ramires, a terapeuta ocupacional Clarisse Oliveira e Francisco Palaré, doente de Parkinson que expõe a sua experiência pessoal.

A doença de Parkinson é uma doença do foro neurológico, com uma evolução lenta e progressiva que provoca a perda de controlo dos movimentos do corpo. A sessão destina-se aos doentes, famílias e profissionais de saúde e da área social e ao público em geral.

Esta conferência é organizada pela Associação Portuguesa dos Doentes de Parkinson e da Delegação do Sotavento Algarvio que conta com a colaboração do Centro de Medicina de Reabilitação do Sul.

15 novembro 2007

A Sul da escrita

novo livro de Dora Nunes Gago

Este livro recebeu o Prémio Nacional de Conto Manuel da Fonseca, foi editado pela Campo das Letras.

Dora Nunes Gago nasceu em S. Brás de Alportel, é licenciada em Português e Francês pela Universidade de Évora, mestre em Estudos Literários Comparados e doutorada em Literaturas Românicas Comparadas pela Universidade ova de Lisboa.

Publicou “Planície de Memória “ (1997) , “Sete Histórias de Gatos” em co autoria com Arlinda Mártires ) fez também parte do livro editado pelo Notícias de S. Brás “Poetas da Minha Terra” de Joaquim Manuel Dias, e tem artigos, poemas e contos dispersados por antologias, revistas e jornais portugueses.

Foi também vencedora do prémio Juventude na categoria de Letras em 2004 atribuído pela Camara Municipal de S. Brás de Alportel.

14 novembro 2007

Lixo transformado em Solidariedade


No passado dia 24 de Outubro, o Salão Nobre da Câmara Municipal de São Brás de Alportel acolheu a Sessão Oficial de Entrega de Donativos, pela Federação de Caçadores do Algarve, em resultado da Jornada de Limpeza 2007.

No passado mês de Maio, a Federação de Caçadores do Algarve realizou mais uma Jornadas de Limpeza da região, sob o tema “Dia Nacional dos Caçadores pelo Ambiente”, juntando cerca de 5.000 caçadores algarvios.

O Concelho de São Brás de Alportel integrou esta iniciativa, mediante a colaboração de muitos caçadores que “arregaçaram” as mangas e juntaram-se a esta missão cívica, pela preservação do meio ambiente. Todos os clubes de caça estiveram envolvidos nesta iniciativa, nomeadamente O Clube de caça e Pesca de S.Brás de Alportel, Clube de Caçadores da Mesquita, Clube de Caça e Pesca dos Parizes, Associação de Caçadores da Cabeça do Velho, Clube de caça e Pesca Britadeira, Associação de caçadores da Cova da Muda, Associação de Caçadores dos Vilarinhos, Associação Caçadores Pescadores dos Besteiros, Clube de caça e Pesca Vizinhos de Machados e Associação de Caçadores do Alportel.

Em resultado desta iniciativa foram recolhidas 700 de toneladas de lixo. Esta recolha que possibilitou desde logo um importante contributo para a limpeza dos habitats, serviu também fins de solidariedade, pois tal como em anteriores edições, o produto da venda dos metais recolhidos reverteu a favor de causas sociais na região.

Neste sentido, ao município de São Brás de Alportel foram atribuídos equipamentos domésticos (electrodomésticos) que a Câmara Municipal distribuiu a famílias carenciadas; bem como uma tenda destinada ao recém-criado grupamento de Escuteiros de São Brás de Alportel.

13 novembro 2007

Machados surpreende na 1ª Distrital

in: Algarve Desporto

À beira de comemorar o 17º aniversário, o GDC Machados afirma-se como uma agradável surpresa neste regresso ao principal convívio regional, ocupando o sexto lugar da tabela com nove pontos, mercê de três vitórias em cinco jogos. “Sem receio, disputaremos com toda a dignidade os pontos em qualquer campo” disse o técnico Luís Pires.

A derrota na última jornada em Lagos (0-1) em nada belisca ou compromete o objectivo traçado inicialmente por este clube do concelho de S. Brás de Alportel que teima em reservar lugar entre os grandes do futebol distrital algarvio. “Creio que o Machados deu em Lagos, perante um candidato à subida, uma imagem muito boa. Nós não o somos, mas independentemente da nossa grandeza, fica a promessa de que disputaremos os três pontos em qualquer campo e com qualquer adversário”, acrescentou o treinador do Machados.

Escusando-se a falar sobre a equipa de arbitragem, Luís Pires não deixou, contudo, de lamentar a expulsão de Mário Costa a 20 minutos do fim e com o resultado em branco, factor que condicionou a estratégia que havia montado. “Devido à ausência de alguns jogadores de área, montámos uma estratégia para o contra-ataque. É natural que com uma unidade a menos as coisas ficassem mais difíceis. Foi isso que aconteceu. Mesmo assim não deixamos de procurar o golo e ficamos com a consciência de que saímos de Lagos com a cabeça bem erguida”.

No próximo sábado, em dia de aniversário, e frente ao Serrano, o Machados vai querer voltar às vitórias e oferecer aos seus adeptos novo triunfo, até porque à noite, na sede do clube, terá lugar o ponto alto das comemorações do 17º aniversário.

12 novembro 2007

Autoridade para as Condições do Trabalho

suspendeu 59 obras no Algarve

A Direcção Regional do Algarve da Autoridade para as Condições do Trabalho ordenou 59 suspensões imediatas de trabalhos, durante a acção de inspecção dirigida às empresas do sector da construção civil e obras públicas, que decorreu no Algarve entre 6 e 8 de Novembro.

Segundo a ACT, foram visitadas e inspeccionadas 140 empresas nos concelhos de Olhão, S. Brás de Alportel, Tavira, Vila Real de Santo António, Portimão e Lagos.

Desta acção, resultaram ainda 136 notificações para tomada de medidas e ao levantamento de 85 autos de notícia.

A ACT acrescenta que dos 264 trabalhadores identificados pelo menos 28 não se encontravam declarados à Segurança Social e não possuíam seguro de acidentes de trabalho, sendo que 11 deles eram estrangeiros em situação ilegal.

A acção da ACT (a antiga Inspecção do Trabalho) incidiu sobre o planeamento da segurança e avaliação de riscos, a coordenação de segurança, o trabalho não declarado, a celebração de seguro de acidentes de trabalho e a implementação de medidas de prevenção e controlo dos riscos profissionais.

Contou com a participação de inspectores do trabalho da Unidade Local de Faro e do Centro Local de Portimão e ainda com a colaboração do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

Aquela Autoridade recorda que «o sector da construção civil e obras públicas no Algarve é um sector de enorme relevância sócio-económica e emprega um elevado número de trabalhadores».

Embora nos últimos anos se tenha verificado uma tendência decrescente da sinistralidade no sector da construção civil, mais de metade dos acidentes de trabalho mortais continuam a ocorrer neste sector.

A construção civil é também muito vulnerável ao trabalho não declarado, pelo que também nesta área a ACT pretende inverter os números dos anos anteriores.

Portugal, tal como os restantes países da União Europeia está obrigado a reduzir em 25% a sinistralidade laboral nos próximos anos, de acordo com a estratégia comunitária 2007/2012.

Nesse sentido, «a ACT compromete-se a reforçar a sua actuação no terreno e desenvolver estratégias apropriadas que levem as empresas e os trabalhadores a adoptar comportamentos que reduzam efectivamente os acidentes no sector da construção civil».

In: Barlavento – Rui P. Gomes

11 novembro 2007

Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados

Algarve aposta nos cuidados domiciliários


Em 2008, a região algarvia vai ter em funcionamento 18 equipas de apoio domiciliário, multi-disciplinares na área da enfermagem e da reabilitação que vão contar com 12 novas carrinhas para prestação de assistência aos utentes.

Se até ao momento só existiam em Loulé e Silves, as novas aquisições vão permitir a instalação de equipas também nos Centros de Saúde de Tavira, Olhão, São Brás de Alportel, Faro, Vila Real de Santo António/Castro Marim, Portimão, Lagos e Vila do Bispo/Aljezur.

10 novembro 2007

Corrida às Tascas - Bike Clube

No dia 11 de Novembro
realiza-se o “5º Passeio de S. Martinho – Corrida às tascas”
organizado pelo Bike Clube São Brás.




09 novembro 2007

Al-Portel - Associação Defesa do Ambiente

discute Desenvolvimento Sustentável

A Al-Portel - Associação de Defesa do Ambiente e do Património Cultural de São Brás de Alportel realiza dia 10 de Novembro a II Conferência de Educação Ambiental do Sul (II CEAS), subordinada ao tema Urbanismo e Desenvolvimento Sustentável.

O evento acontece no Cine-Teatro local. Entre outros os objectivos da iniciativa passam por sensibilizar para o conceito de Desenvolvimento Sustentável, para a importância dos processos conducentes ao Desenvolvimento Sustentável no futuro da Humanidade; e sensibilizar a população para o impacto dos núcleos urbanos na sociedade contemporânea.

O presidente da Grande Área Metropolitana do Algarve, Macário Correia; e Porfírio Maia, vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, são dois dos muitos oradores convidados.

Os interessados em participar devem colher mais informações através do mail: ambiente.al-portel@sapo.pt, webpage: http://ceas.com.sapo.pt/, ou telefones: 961656467, 965182588.

08 novembro 2007

Taça Municipio DH

A Equipa MCF/CCD Município de São Brás de Alportel , em colaboração com a Câmara Municipal, vai realizar a TAÇA DO MUNICÍPIO de Downhill.

Trata-se de uma Taça disputada em três etapas, em pistas e datas distintas.

O objectivo desta organização é o de colmatar a falta de provas desta modalidade na região sul, contribuindo assim para o desenvolvimento e divulgação desta espectacular modalidade. Aproveitando as excelentes condições naturais do concelho, foram desenvolvidas três pistas de grande nível, total ou parcialmente novas, sendo que uma delas servirá de palco á realização da primeira etapa da Taça de Portugal de DH, a 8 e 9 de Março de 2008. Estas provas serão realizadas com a autorização da Associação de Ciclismo do Algarve, com a colaboração dos Bombeiros Voluntários de São Brás de Alportel e do Moto Clube «Unidos da estrada»


NORMAS REGULAMENTADORAS

A Taça do Município São Brás de Alportel de Downhill será disputada durante os meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro (conforme cartaz).

Será disputada em duas categorias: Geral e Sub -17. Sairá vencedor quem realizar maior número de pontos, atribuídos em cada uma das provas segundo uma tabela a apresentar posteriormente, mas semelhante ao esquema usado pela fpc/uvp

O valor das inscrições será de 10 € sem almoço e 15 € com almoço incluído/prova.

Será entregue uma t-shirt alusiva ao evento e outros brindes.

Deverá ser feita uma pré-inscrição para o endereço:

r73barros@gmail.com

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de email

Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o JavaScript terá de estar activado para que possa visualizar o endereço de email, ou para o nº 966436534, onde deverá ser mencionado: Nome, data de nascimento, nº de BI, prova em que se inscreve e se a inscrição é com ou sem almoço.

Aos menores de 18 anos (não federados) será exigida uma declaração assinada por um dos Pais ou Tutor legal a autorizar a sua participação. Idade mínima: 15 anos. Todos os participantes estarão cobertos por um seguro, sendo que, a organização não se responsabiliza por quaisquer acidentes que ocorram.

O n.º do dorsal será atribuído aos atletas mediante a chegada por ordem ao secretariado. O dorsal deverá ser levantado no secretariado até ao final do dia anterior ao da prova e servirá para as três etapas, sendo que a sua perda representa um acréscimo de 5€. A utilização do dorsal é obrigatória durante treinos e mangas. O uso de protecções é facultativo estando á responsabilidade do piloto, no entanto, é obrigatório o uso de capacete integral, googles e luvas de dedos inteiros (regras UCI)

PRÉMIOS:

Como mencionado acima, os prémios serão relativos aos pontos acumulados, mediante os resultados das diferentes etapas e serão entregues na última etapa.

GERAL:1.º Classificado – 300,00 Euros

2.º Classificado – 200,00 Euros

3.º Classificado – 150,00 Euros

4.º Classificado – 100,00 Euros

5.º Classificado – 75,00 Euros

6.º Classificado – 50,00 Euros

7.º ao 10.ºClassificado – 25,00 Euros

SUB-17 (acumulável com os prémios da classificação geral):

1.º Classificado – 75,00 Euros

2.º Classificado – 50,00 Euros

3.º Classificado – 25,00 Euros

Nota: Os prémios apresentados são valores mínimos, sendo que, aumentarão de valor conforme o nº de participantes.Será ainda entregue uma camisola de líder de cada uma das classes, que mudará de piloto nas diferentes etapas consoante a classificação, sendo a mesma conquistada pelo vencedor final da taça.

07 novembro 2007

Festejos de S. Martinho

4.º Aniversário

Da atribuição do nome à
Biblioteca Municipal

O Presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, Eng.º Prof.º António Paulo Eusébio, tem o prazer de convidá-lo a participar nas actividades em honra do ilustre professor e investigador, Dr. Manuel Francisco do Estanco Louro, na celebração do 4.º aniversário de atribuição do seu nome como patrono da Biblioteca Municipal.

É dia 08 de Novembro às 18,30 horas no Salão Nobre da Câmara Municipal.

Não Faltes!....

05 novembro 2007

Kart - Machados


Prova do Clube Amizade/Desafio Pilotos & Máquinas/Mymoto
FIAAL–Jaguar/Land Rover venceu


António Pinheiro e Luís Assunção da equipa FIAAL–Jaguar/Land Rover venceu no passado domingo, no Kartódromo de Almancil, a derradeira prova do Clube Amizade/Desafio Pilotos & Máquinas/Mymoto, sagrando-se ao mesmo tempo vencedora da competição. Na prova feminina o triunfo sorriu à dupla Marisa Neves/Dina Santos.

A prova que assinalou 20 anos de existência do programa Pilotos & Maquinas viu António Pinheiro garantir a pole-position, largando bem para a 1.ª manga e conseguindo uma vantagem suficiente para controlar os adversários directos ao longo dos 15 minutos de prova até à bandeirada xadrez. Quanto a Luís Assunção, pode dizer-se que fez uma 2.ª manga tirada a papel químico da primeira, não deixando dúvidas sobre o domínio absoluto que equipa teve nesta prova.

Também candidata a vencer o desafio, uma vez que antes desta última prova tinha o mesmo número de pontos que a equipa vencedora, a dupla da MTZ Fashion Cars (Milton Reis/João Pedro Santos) ao não ter a sorte pelo seu lado no kart que escolheu, que ainda substituiu mas foi pior a emenda que o soneto, não conseguiu melhor que o 11.º lugar na 1.ª manga com Milton Reis e o 10.º lugar na 2.ª manga com João Pedro Santos, posições de que resultou o 10.º lugar na prova. Um resultado que, fez a equipa descer ao degrau mais baixo do pódio final do Desafio sendo suplantada pela dupla do Grupo Desportivo e Cultural dos Machados que na prova não conseguiu melhor que o 5.º lugar – 6.º lugar de André Lourenço na 1.ª manga e 3.º lugar de Diogo Gago na 2.ª manga – mas que amealhou pontos suficientes para ficar com 2 de vantagem sobre a MTZ Fashion Cars.

Quanto à competição feminina, começando por dominar nos cronometrados, onde averbou o 12.º tempo, Marisa Neves da MTZ Fashion Cars consolidou uma posição favorável à vitória final ao terminar a 1.ª manga no 14.º lugar, deixando a rival, Ana Santos da Adrijor II, na 16.ª posição, enquanto que Lilia Amado da equipa The Fly tinha que se resignar ao 3.º lugar.

Na 2.ª manga, Dina Santos da MTZ Fashion Cars, conseguiu com algum esforço garantir a 16.ª posição, relegando para o lugar imediatamente a seguir, pela diferença de 5 segundos, a adversária Susana Brás, da Adrijor II, que ainda tentou mas não conseguiu anular a vantagem da rival.

Classificação geral final:

1.º FIAAL - JAGUAR / LAND ROVER (António Pinheiro/Luís Assunção) 86 pontos, 2.º GD MACHADOS (André Lourenço/Diogo Gago) 76, 3.º MTZ FASHION CARS (Milton Reis/João Pedro Santos) 74 pontos, 4.º GUERREIRO E GONÇALVES (José Gonçalves/Nelson Guerreiro) 67, 5.º SULKART TEAM (Billy Wanner/Patrícia Galvão) 61,

Classificação Senhoras:

1.º MTZ FASHION CARS (Marisa Neves/Dina Santos) 21 pontos, 2.º ADRIJOR II (Ana Santos/Susana Brás) 19, 3.º THE FLY (Lilia Amado/Sofia Viegas) 5.

04 novembro 2007

Bons negócios na Serra

só com menos burocracia e proteccionismo










As ideias para investir existem e há também quem queira investir, mas a maioria dos projectos esbarra na reprovação das autoridades do ambiente e da agricultura.

As Serras e o Barrocal algarvios têm potencialidades para promover bons negócios, mas a burocracia e o proteccionismo das entidades oficiais impedem o avanço de muitos deles.

Esta foi a principal conclusão que saiu de um seminário promovido na passada semana pela associação ambientalista algarvia Almargem, em São Brás de Alportel, onde participaram empresários de turismo de natureza algarvios.

A Via Algarviana, um conjunto de trilhos pedonais e cicláveis que ligará Alcoutim a Sagres pelo interior da região, está perto de ser concluída e a Almargem, a principal promotora deste projecto, quer potenciá-la com a criação de pequenos negócios a ela associados.

Desde a vertente de promoção de passeios até à criação de pequenas unidades de alojamento, foram muitas as ideias que foram lançadas no seminário da passada semana.

No entanto, estas sugestões acabaram por não entusiasmar os empresários presentes, que estão habituados a receber respostas negativas, de cada vez que querem criar negócios no interior do Algarve.

Em causa, está o facto de a maior parte do território da Serra e do Barrocal, que a Via Algarviana atravessa, ser de Reserva Ecológica Nacional, Rede Natura 2000 ou Reserva Agrícola Nacional.

Um problema que foi mencionado por vários dos empresários presentes, com diferentes ângulos. A história de Hélder Amendoeira acaba por simbolizar bem as dificuldades que estes e outros empresários atravessam, quando tentam investir no interior.

Hélder Amendoeira é um dos sócios de uma empresa que promove desportos radicais, especializada na área de escalada e montanhismo.

«Existimos desde 1996 e andámos a desbravar o terreno nesta área», contou, numa conversa à margem do seminário.

Recentemente, a empresa decidiu criar um parque radical, onde pudesse desenvolver parte das suas actividades, nomeadamente aquelas com cariz mais pedagógico.

A ideia era aproveitar um terreno pertencente à família do empresário, na Serra do Caldeirão. «Mal disse que queria lá levar turistas, disseram-me logo que não», garantiu.

Burocracias a mais

O espaço em questão «tem rocha e estevas» e era utilizado «há 30 anos» pelo avô de Hélder Amendoeira para semear «trigo e milho». «Agora é um terreno de sequeiro, inculto», revelou.

Mesmo assim, não lhe foi dada a autorização para criar este parque, com a justificação de que «antigamente, o terreno era utilizado».

O projecto, garantiu o empresário, consistia na instalação de «estruturas amovíveis», que «estariam integradas na natureza».

A criação de um espaço onde pudessem desenvolver parte das suas actividades também se prendeu com o facto de, para poder utilizar zonas do domínio público, havia que «pagar taxas» a esta ou aquela instituição.

«Não sei para quê. Cada vez que fazemos uma actividade temos de ir uma ou duas horas antes, para limpar o local», contou.

«Preservação sim, mas com usufruto»

O docente da Universidade do Algarve Adão Flores, especialista na área e um dos oradores convidados, deixou bem claro, na sua intervenção, que «há que aliviar a carga ambientalista da sustentabilidade». Ou seja, «preservação sim, mas com usufruto».

«As pessoas que vivem no interior não podem ser impedidas de desenvolver as actividades» a que estão ligadas há séculos, considerou.

Neste campo, houve um especial enfoque na produção de cortiça, mas também de um produto regional de referência, a aguardente de medronho.

Durante a visita a um troço da Via Algarviana, promovida antes do seminário, os convidados tiveram a oportunidade de ficar a conhecer melhor as duas indústrias.

No que diz respeito à indústria corticeira, a sua continuidade não é posta em causa por normas comunitárias, apesar de as doenças que afectam o sobreiro serem uma preocupação.

Apanhar medronho como proposta turística

Já a indústria de produção de aguardente do medronho está a atravessar algumas dificuldades, uma vez que as regras são cada vez mais apertadas.

A associação In Loco, parceira do projecto Via Algarviana, é uma das principais defensoras da continuidade desta actividade no interior do Algarve.

Numa altura em que os produtores estão preocupados com o futuro, a associação lançou uma ideia de um produto turístico associado a esta actividade.

À semelhança do que já é feito no Douro, com a vindima e produção de Vinho do Porto, a associação de dinamização do interior algarvio quer fazer da apanha do medronho um produto turístico.

«Os turistas vão apanhar o medronho e tomam o farnel no campo. Mais tarde visitam a fábrica e vêem como é feita a aguardente. Além de aprender o processo, ganham uma garrafa de Medronho», explicou um dos representantes da In Loco presentes.

A associação vai promover uma primeira experiência desta actividade já no próximo sábado. A inscrição custa 20 euros e dá direito a farnel e a uma garrafa de medronho de 20 decilitros.

A apanha do medronho, em si, não será «nada de muito duro», servindo essencialmente para dar um conhecimento prático do que é a actividade.

hugo Rodrigues in barlavento

Revista «al Gharb»

divulga património e história do Algarve

Nova revista bimestral tem rigor académico, mas pretende ser acessível a quase todos os públicos. Número zero já circula.

Não acaba de chegar às bancas porque é gratuito, mas já circula pelo Algarve o novo magazine de reportagem e pesquisa histórica.

O número zero da «al Gharb» data de Setembro e a distribuição é apoiada pelo Instituto Português da Juventude e pela direcção regional de Educação do Algarve, embora só agora o título tenha conquistado o passa palavra entre os entusiastas da reportagem.

A revista é dirigida por Carlos Campaniço, especialista em Cultura Árabe e Islâmica, que assina o texto de abertura dedicado ao castelo de Silves.

Essa é, aliás, a linha editorial da revista, cujos conteúdos remetem sempre para a região do Algarve e estão a cargo de estudiosos, académicos e profissionais da imagem.

No número zero da publicação encontram-se participações do antigo comissário da Faro Capital Nacional da Cultura António Rosa Mendes, que assume também a coordenação do conselho editorial da publicação.

Com forte aposta na fotografia, a «al Gharb» trouxe para o número inaugural artigos sobre o património natural do Algarve, onde não faltam destaques à Reserva Natural do Sapal de Castro Marim e Vila Real de Santo António, à praia do Barril ou à serra de Tavira.

No «menu» de artigos encontra-se ainda um extenso texto dedicado à história do Sanatório de São Brás de Alportel, havendo também espaço para uma investigação sobre a arquitectura tradicional da região e os morabitos islâmicos.

Segundo o director da «al Gharb», a revista pretende mostrar o património cultural, histórico-antropológico e natural do Algarve e ambiciona «a excelência» nos conteúdos visuais.

«Não querendo ser uma revista com uma linguagem demasiado científica ou académica, pretendemo-la acessível a todo o cidadão interessado ou aos jovens em formação», diz Carlos Campaniço.

O número zero da revista tem uma tiragem de 1000 exemplares e conta o timbre da Gente Singular Editora, sedeada em Olhão.