25 janeiro 2007

PCP contra encerramento do SAP

A Concelhia do PCP de São Brás de Alportel está contra a transição das Urgências para Loulé e Faro, e critica silêncio da Câmara Municipal.

O PCP de São Brás de Alportel está contra o encerramento do Serviço de Atendimento Permanente (SAP) da localidade, considerando que a solução apresentada pela ARS de deslocalizar as “Urgências” para o Centro de Saúde de Loulé e para o Hospital de Faro é “manifestamente insuficiente”.

“O concelho de Loulé é o maior do Algarve e o mais populoso, não esquecendo a sobrelotação que se verifica no Verão em Quarteira e Vilamoura. O SAP de Loulé já tem dificuldade em assegurar os cuidados médicos a toda a população do concelho de Loulé à qual acresce agora os utentes do Centro de Saúde de São Brás de Alportel”, afirma o PCP, em comunicado.

Também a solução do Hospital de Faro não colhe junto da estrutura comunista: “A população de São Brás de Alportel ao ver-se obrigada a dirigir-se ao Hospital Distrital de Faro, já de si com deficiências várias ao nível do atendimento, arrisca-se a ser catalogada com uma cor e aí passar a noite toda numa atitude de desprezo e desrespeito pelos utentes do SNS”, acrescenta.

O PCP relembra ainda que, “apesar de a saúde ser um direito reconhecido pela Constituição Portuguesa, as despesas com as deslocações ao SAP de Loulé ou às urgências do Hospital Distrital de Faro não estão cobertas pelo Estado”.

As críticas estendem-se à privatização do serviço de internamento do Centro de Saúde de São Brás de Alportel, com a sua entrega à Santa Casa da Misericórdia, bem como aconteceu com a privatização do sanatório, agora “nas mãos” do Banco Português de Negócios.

Por último, a Comissão Concelhia de São Brás de Alportel do Partido Comunista Português aponta o dedo à Câmara Municipal de São Brás de Alportel, “pelo seu silêncio para com a população e por nada ter feito para que estas medidas impostas pelo Governo (também PS) pudessem ser impedidas”.

12 comentários:

Anónimo disse...

...é, o presidente anda muito ocupado a tentar sacar dinheiro aos autores do blog, não tem tempo para perder com o encerramento das Urgencias.

Bo$$

Anónimo disse...

Ò meus cabeças de avelâ eu já tinha dito isso,
agora é que os comunistas vem com essa priocupação já é tarde.
Isso deve ser por causa da mora de algum comunista ter que se ir embora para Loulé ou Faro ,senão fore vai para a rua .meus caras comunistas agora é que acordarão

residente disse...

Conheço alguem que esteve no c.saude de loulé ontem das 15h ás 21h depois de todas as devidas prioridades... ui ui, fechem sim e depois vamos ver... a não ser ter a certeza de ser uma prioridade.

Anónimo disse...

Meus sres é uma vergonha no século em que estamos uma terra com10 mil habitantes não termos um unidade de serviço de urgência ou chamado sap, temos um presidente de câmara, temos um vereador onde a sua esposa é enfermeira e nada fazem para a segurar o serviço SAP, para quando eles lhe derem uma caganeira ter onde se deslocar, mas como o presidente da câmara tem dois ordenados nada o preocupa porque pode pagar a qualquer médico praticular ,agora aquelas pessoas de que só tem um ordenado e que tem que esticar para o mês ,mas se tiver que deslocar ao H.D.Faro ou ao SAP de Loulé tem que pagar do seu bolso ,podendo neste concelho de 10 mil habitantes termos um SAP neste centro de saúde que até a unidade de internamento vai acabar, mas com o ministro da saúde faz parte do partido do Sre Presidente da Câmara tá-se cagando para quem adoece por isso não faz nada.
Meus sres á uns anos quizeram mudar o nome de quem construí ou mandou construir o centro saúde, até a estatua que se encontra no interor queriam tirar, que naquela altura eram um hospital ,onde faziam operações, fizeram uma manisfestação para que isso não acontece-se ,eu não sou muito velho tenho 43 anos vividos em S.Brás e naquela altura foi uma guerra por causa disso e agora nem os socialistas,nem comunistas não fazem nada .


J.M

Quinta-feira, 04 Janeiro, 2007

Anónimo disse...

Resta saber se a urgencia em S.brás, não representa apenas uma perda de tempo.
Nesta fase, meus senhores, o que importa é que nos expliquem qual vais ser a verdadeira UTILIDADE do Centro de Saúde de S.Brás e qual vai ser a VERDADEIRA prontidão EFICÀCIA do transporte de qualquer doente em verdadeira situação de urgência?
Escrevo aquelas 3 palavras em maiúsculas porque o que se trata é apenas e só disso. Se a discussão estiver baseada nesse 3 factores então teremos sem dúvida uma discussão verdadeiramente séria e esclarecedora.

Ou não será?!

Ass: Fiquem Bem!

Anónimo disse...

Meu caro amigo a Sre diz que conhece alguém que esteve no C.Saude de Loulé das 15 h às 21 horas isso se as contas não falha são 6 horas de espera , se fosse para o H.D Faro certamente levava 12 horas no mínimo , fazendo as contas se esse seu conhecido tivesse um S.A.P aqui em São Brás não levava esse tempo tudo a ser atendido, só que não houve ninguem com tomates para dizer alguma coisa e depois vem cá para fora dizer que andam a falar mal do seu mandato e da sua cara , e da fotomontagem cara de palhaço tem ele.,

Quanto a si amigo a prontidão em transportes urgentes não vai ser porque o C.Saude não faz transportes e há um velho ditado que diz enquanto fore os outras estou eu bem, neste momento meus sres não temos prontidão no C.S.S.Brás desde que fechou o SAP

Passem Bem
Bom FIM DE SEMANA cuidado com o frio

Pecaaas disse...

O http://faroso.blogspot.com/ em defesa do São Brás blog
abr
Pedro

Anónimo disse...

Informava a ARS Algarve no seu site.

1. A partir do dia 1 de Janeiro de 2007 o Serviço de Atendimento Complementar (SAP) passará a funcionar de 2.ª a 6.ª feira entre as 14:00 e as 20:00 horas e aos Sábados, Domingos e Feriados das 09 horas às 15 horas;

2. As consultas programadas e as consultas do dia funcionam durante todo o período da manhã;

3. O atendimento urgente e emergente dos utentes do concelho de São Brás de Alportel continuará a ser realizado de acordo com a situação clínica e por orientação do INEM através da linha 112, para o Serviço de Atendimento Permanente de 24 horas de Loulé requalificado em Serviço de Urgência Básico e para o Serviço de Urgência Polivalente do Hospital Distrital de Faro;

Conceitos importantes:

urgência (todas as situações clínicas de instalação súbita, desde as não graves até às graves com risco de estabelecimento de falência de funções vitais.) e emergência (todas as situações clínicas de estabelecimento súbito, em que existe, estabelecido ou eminente, o compromisso de uma ou mais funções vitais.)

Acesso mais rápido da vítima a um serviço com capacidade de resposta técnica;

Evitar que situações que requeiram atendimento urgente/emergente especializado percam tempo precioso em serviços sem qualificação para a prestação de cuidados de urgência/emergência;

Dotar os serviços da rede de urgência/emergência de melhores meios técnicos e de recursos humanos com formação para situações de urgência/emergência;

Portanto caros amigos se eu estiver numa situação de perigo de vida levem-me o mais rápidamente possível para a unidade de cuidados intensivos mais próxima e socorram-me logo que chegue o 112.

Ou também quererão um Hospital Central em São Brás!!!








As medidas agora tomadas libertarão recursos que serão afectados à actividade assistencial permitindo acabar com os utentes sem médico de família atribuído

Anónimo disse...

O PCP relembra ainda que, “apesar de a saúde ser um direito reconhecido pela Constituição Portuguesa, as despesas com as deslocações ao SAP de Loulé ou às urgências do Hospital Distrital de Faro não estão cobertas pelo Estado”.

Nada mais falso!!! Quem chama o 112 e tem justificação clínica para ir à urgência nunca pagou nada nem nada pagará.

Anónimo disse...

As críticas estendem-se à privatização do serviço de internamento do Centro de Saúde de São Brás de Alportel, com a sua entrega à Santa Casa da Misericórdia, bem como aconteceu com a privatização do sanatório, agora “nas mãos” do Banco Português de Negócios.

O CMFR Sul de São Brás de Alportel é um unidade pública de financiamento público e prestação privada isto é, os cidadãos serão ali tratados da mesma maneira que em qualquer outra instituição do SNS. Esclareçam não inventem!

Anónimo disse...

Tenham em atênção se fore rico o inem paga esse transporte se é pobre então tem que pagar a ambulância da seu bolso

Anónimo disse...

Meus srs é com funda tristeza que lhes relato esta pequena história que se passou no C.Saude de S.Brás onde um Srs levou uma Sra com uma ferida na mão , os médicos olhavam para a ferida e uma enfermeira perguntava-lhe se ele dava uns pontos na ferida por resposta dele é que não podia, a não ser o médico de família, mas como o médico de família não se encontrava já alguns dias no Centro de S.Brás , não podia tratar tal doente porque não tinha SAP desde dia 1 de Janeiro e teria que se deslocar ao Hospital de Faro para levar os pontos na mão.
Não se a pessoa que acompanhava a Sra se era ou não familiar , agora pergunto eu aos médicos do C.Saude de S.Brás o que estão eles ali a fazer a perder tempo a roubar o dinheiro ao estado e deixarem as pessoas morrer por falta de assistência médica ,meus srs estamos no século 21 é um autêntica vergonha .
E depois vem os emigrantes para cá dizer que no estrageiro é que é bom , e é verdade este Portugal está poder,mas o que mais meu deu graça foi o sr que acompanhava a sra muito calmo e a enfermeira chefe esposa do Sr vereador muito saltitona a dizer que aquilo não era um sap.,sra enfermeira chefe devia de ter vergonha na sua cara vá para outra terra que não faz falta pessoas da sua laia. Isto aconteceu no dia 7/02/07