26 maio 2007

Confraria dos Gastrónomos do Algarve


Joaquim Mendoza nomeado
Grande Conselheiro Delegado


Realizou-se no passado sábado, 12 de Maio, em Faro – Estói, mais um Capítulo Extraordinário da Confraria dos Gastrónomos do Algarve, que decorreu num ambiente mesclado de formalismo, por respeito à tradição, com a alegria já intrínseca às actividades dos confrades algarvios.

A cerimónia, imposta por um crescimento rápido e salutar da Confraria, contou com a presença de quase duas centenas de confrades e convidados e teve o seu início às 10:00 horas, no Salão Nobre da anfitriã Câmara Municipal de Faro, onde, após um pequeno almoço de recepção, foram dadas as boas vindas aos novos membros e tomaram a palavra os membros da mesa, Grão Mestre da Confraria, Governador Civil de Faro, Presidente da Câmara Municipal de Faro e Presidente da Junta de Freguesia de Estói.

Seguiu-se um desfile dos confrades, pela emblemática Rua de Santo António, ao som da fanfarra dos Bombeiros de Faro.

A segunda fase da cerimónia desenrolou-se em Estói, iniciando-se com um Terras do Infante de honra, servido na Casa de Estói, construída no primeiro ano de século XX e que, sob orientação de novel confrade, se tem transformado numa pérola do turismo de habitação do Algarve.

Seguiu-se, já na Igreja de Estói, após uma oração de sapiência proferida pela confreira Maria Manuela Valagão, que dissecou virtudes da dieta mediterrânica, a bênção dos escapulários e entronização de 23 novos confrades. A Confraria dos Gastrónomos do Algarve quis distinguir três notáveis algarvios, intronizando como Confrades de Honra o Presidente da Câmara de Faro, José Apolinário, a Deputada Esmeralda Salero Ramires e Domitíla M. dos Santos, que foi igualmente indigitada como Grande Conselheira Delegada da confraria em Nova Iorque, onde tem desenvolvido notória e meritória actividade, na área da alta finança do competitivo mundo da Wall Street. Foram ainda nomeados Grande Conselheiros Delegados, Filipe Ramires e Joaquim Mendoza, de Olhão e de S. Brás de Alportel, respectivamente.

Já tardiamente, para aguçar apetites, esteve a cargo dos confrades do Restaurante La Reserve servir, no Largo da Igreja, em tendas montadas para o efeito, um almoço que se prolongou em franco convívio pela tarde adentro.

Iniciado com uns entreténs de boca regionais, seguiu-se um caldo de tamboril com gamba da costa e uma galinha cerejada, acompanhada por um xarém divinal.

A doçaria esteve a cargo da Quinta dos Avós, do Algoz, que soube manifestar as razões da sua fama e dos sempre presentes confrades Restaurante Charrete, de Monchique, e Casa Isabel, de Portimão.

No final da tarde ficou-nos a convicção de ter sido dado mais um passo, sereno mas determinante, na salvaguarda e promoção do nosso património cultural gastronómico. É quanto basta para que a Confraria se sinta gratificada.

2 comentários:

Anónimo disse...

Gostava de saber quanto ganham os vereadores e presidente de camara de vencimentos e de despesas de representação. E nas funções que desempenham, por inerência, noutras instituições nomeadamente na ALGAR.

Alguém sabe????

Rui Norte disse...

Caro senhor escritor, caros leitores do simpático Blog, entendo natural a distracção, não entendo natural a teimosia estranha de chamar Estói a Estoi. Se Estoi fosse Estói entenderia que as pessoas chamassem a Estói Estoi por ser mais fácil, mas chamar a Estoi Estói só complica! Não é?
No entanto para que deixassem definitivamente de existir dúvidas quando ao nome da aldeia, a Assembleia da República em 9 de Dezembro de 1994 acertou finalmente que a Estoi se chamaria Estoi, conforme as gentes, que à terra deram o nome, chamavam. Sejam bem vindos a Estoi - http://estoi.blogspot.com/