Sbras.Blog - O Jornalismo do Cidadão contra a Ditadura do pensamento único............................Publicação esporádica e ocasional que procura levar aos leitores informação sobre assuntos sociais, culturais, religiosos, políticos, desportivos, escolares, de saúde, de segurança, do património, do ambiente e outros, sobre o concelho de S. Brás de Alportel..................................Independente do poder politico e económico, aqui lê-se nos acontecimentos os sinais do tempo e presta-se atenção aos recantos mais ignorados.................................. Aqui ouve-se os anseios, aspirações ou queixas da população para a divulgação de informações e noticias de carácter não especializado........................................ Pseudo-jornalismo de Intervenção, de Proximidade e de Conveniência na defensa do interesse comum e o prestigio e desenvolvimento do concelho........................................Talvez por isso este seja único blog que a Câmara Municipal de S. Brás de Alportel não permite o acesso!...............................................

31 maio 2006

92º Aniversário do município


O município de São Brás de Alportel assina o seu 92º aniversário já no próximo dia 1 de Junho. Para celebrar a efeméride, a autarquia organizou um vasto programa de actividades, entre as quais se destacam a sessão de hastear da bandeira, pelas 9:30 horas, seguida de uma homenagem aos funcionários com mais de 25 anos ao serviço da câmara municipal.

Para as 11:00 horas está agendada a palestra “Pelas Veredas do Património… em São Brás de Alportel”, da autoria do professor José d’Encarnação. Às 12:00 horas é inaugurada na Galeria Municipal a exposição “Conhecendo a Família Passos”, uma mostra de trabalhos em pintura da autoria de Henrique Passos.

Durante todo o dia, a partir das 10:30 e até às 17:00 horas, a Banda de Metais de São Brás de Alportel vai percorrer os vários sítios do concelho: 10:30 horas – S. Romão (Adro de S. Romão); 11:15 – Corotelo (Junto à Escola); 12:00 – Machados (Parque dos Poetas); 15:00 – Alportel (Parque do Alportel); 15h45 – Mealhas (Junto ao Salão de Festas Reis); 16:30 – Mesquita. Ainda quanto a música, às 11:30 horas, o Cine - Teatro São Brás é palco de um concerto da Orquestra do Algarve, onde vão ser tocadas peças de Mozart, Sérgio Azevedo, Janacek e Schubert, sob a batuta do maestro Nikolay Lalov.

Ainda para o mesmo dia, mas no âmbito do Dia Mundial da Criança, a autarquia preparou um programa de actividades para as crianças das escolas do concelho no Jardim Municipal Carrera Viegas, pelas 15:00 horas, onde os jogos tradicionais, os contos e os insufláveis vão animar as brincadeiras dos mais novos no seu dia.

30 maio 2006

"Os Zecas" vencem Peddy Paper

A equipa "Os Zecas" vence o 3º Peddy Paper "Cumeada de Alta Mora"

Apesar das condições atmosféricas adversas do passado fim de semana, o 3º Peddy Paper “Cumeada de Alta Mora” acabou por se realizar no dia previsto (23 de Abril), com a ajuda de S. Pedro.O evento contou com a presença de quase uma centena de participantes, distribuídos por 18 equipas, que, durante o percurso de 7 km, tiveram que superar diversas provas, encontrar pistas e responder a questões sobre a região. Para além disso, puderam ainda desfrutar da magnífica paisagem e da natureza em todo o seu esplendor.

A prova decorreu sem quaisquer incidentes, com muito divertimento e convívio. Os participantes vieram de vários sítios e, após a prova, recuperaram forças com um almoço, que decorreu no recinto da antiga Escola Primária de Alta Mora (actual sede da ARCDAA). Após o repasto procedeu-se à entrega de lembranças e certificados a todas as equipas participantes, seguindo-se a entrega dos prémios às 5 primeiras equipas classificadas.

Este ano o 1º lugar foi entregue à equipa “Os Zecas”, oriunda de S. Brás de Alportel.

A ARCDAA agradece a participação de todos os concorrentes, bem como a colaboração, apoio e patrocínio das várias entidades que apadrinharam este evento.Esta associação pretende continuar a organizar este certame, uma vez que de ano para ano tem vindo a aumentar o nº de participantes e o feedback tem sido bastante positivo.

Desde já fica o convite para a 4ª edição do Peddy Paper “Cumeada de Alta Mora”.

29 maio 2006

“Levanta-te e Ri”

“Levanta-te e Ri” em São Brás de Alportel com transmissão em directo

O programa televisivo “Levanta-te e Ri” vai ser transmitido em directo para a SIC a partir de São Brás de Alportel no próximo dia 29 de Maio.

Com apresentação de Marco Horácio, o programa de humor conta ainda com a presença de Fernando Rocha, Serafim, Miguel 7 Estacas, Pedro Neves e Ricardo Peres.

Os ingressos para o espectáculo vão estar à venda na Tesouraria da Câmara Municipal de São Brás de Alportel.

28 maio 2006

São Brás adere ao Cartão Jovem Municipal

Sete autarquias algarvias aderiram, sexta-feira, ao Cartão Jovem Municipal. Este é um documento que confere ao portador todas as garantias do documento a nível nacional e outras, de âmbito local.

A assinatura dos protocolos decorreu no Governo Civil de Faro e contou com a presença do secretário de Estado da Juventude e Desporto Laurentino Dias. O membro do Governo homologou os acordos, manifestando o desejo de ver outras autarquias da região a aderir a este cartão.

Para já, das 16 autarquias da região, apenas Albufeira, Faro, Lagoa, Silves, Portimão, São Brás de Alportel e Vila Real de Santo António são parceiros da Movijovem, a entidade responsável tanto pelos Cartões Jovem como das Pousadas da Juventude.

Quanto à aparência, o Cartão Jovem Municipal vai ter uma das faces, a principal, igual aos mesmos documentos que existe a nível nacional. Mas a contra-face do cartão será personalizada e a escolha da imagem caberá aos municípios aderentes.

O preço também será o mesmo do Cartão Jovem normal. Esta é uma forma, diz Laurentino Dias, de relançar o documento, que tem vindo a perder terreno com o aparecimento de cartões de descontos dos mais variados tipos.

27 maio 2006

AJS - Opinião dos Leitores

Tem nos chegado alguns e-mails (18) sugerindo abertura de um espaço próprio de opinião sobre a Associação Jovem Sambrasense. Dado a quantidade e qualidade dos comentários que acabam de uma maneira ou outra por envolver a AJS, resolvemos aceder ao pedido dos nossos leitores e abrir uma postagem para que todos os são-brasenses, que queiram, possam expressar a sua opinião acerca da AJS.

falem do que quiserem, mas por favor,
expressem as suas opiniões sem asneiras.

26 maio 2006

“Não dê Tampa à Solidariedade"

Vencedor concurso “Não dê Tampa à Solidariedade” recebe prémio


A Câmara Municipal de São Brás de Alportel procede no próximo dia 4 de Junho, no âmbito do Festival ao Ar livre, à entrega dos prémios da 1ª fase do Concurso “Não dê Tampa à Solidariedade”, uma iniciativa lançada pela autarquia para dinamizar o Projecto Tampinhas, que através da entrega de tampas de plástico consegue dar material ortopédico a pessoas carenciadas.

Os 10 participantes no concurso que entregaram maior número de tampinhas vão ganhar um conjunto de prémios, pelas mãos da enfermeira Guadalupe, a grande criadora desta verdadeira “febre nacional das tampas”, um dos casos de solidariedade de maior êxito no nosso país, que ao nível do Algarve tem superado positivamente todas as expectativas.

25 maio 2006

Mulheres Socialistas

Novas dirigentes das Mulheres Socialistas do Algarve já tomaram posse

Os Órgãos do Departamento Federativo das Mulheres Socialistas do Algarve, a presidente do Departamento e o Conselho Consultivo, recentemente eleitos para o mandato 2006/2008, já tomaram posse em Faro, na sede do PS.

A presidente Aldemira Pinho, no discurso de posse, reafirmou a sua «convicção e empenho em trabalhar para criar condições de efectiva participação e envolvimento, das Mulheres, na vida cívica, política e partidária, e continuar o “caminho” para que num futuro, cada vez mais próximo, a participação das Mulheres nos centros de decisão política seja algo absolutamente normal».

O Conselho Consultivo tem a seguinte composição: Isabel Guerreiro (Portimão), Maria Margarida Martins (Faro), Esmeralda Ramires (Olhão), Sara Brito (VRSA), Rita Olivença (Lagos), Ricardina Jesus (Tavira), Dora Olival (Loulé), Nídia Amaro (S. Brás de Alportel), Maria Emília Teixeira (Faro), Ana Sofia Silva (Silves), Carla Antunes (Lagoa), Juvenália Bentes (Olhão), Ana Maria Figueiredo (Portimão), Ilda Silva (Faro), Josélia Mestre Gonçalves (S. Brás de Alportel) e Maria Herculana Lopes (VRSA).


24 maio 2006

Desabafos em Vil’Adentro

Guarda Republica
EM: VILADENTRO Nº88


São Brás de Alportel é um Concelho pacifico. Nota-se ainda uma certa desordenação no parqueamento. Vale tudo. Quem nos visita também não sabe onde estacionar. Já estamos no séc. XXI e temos de pensar no futuro da localização das instituições públicas. O que temos é dos fins do século XIX.

Energia Solar = Riqueza
EM: VILADENTRO Nº88

Uma das missões de uma autarquia é criar riqueza. Não basta fazer rotundas, abonecar o ambiente com isto e aquilo, se não cria melhor qualidade de vida.

Produzir riqueza é o centro nevrálgico de uma autarquia. Temos mais de três mil horas de sol por ano. São Brás de Alportel não investe nessa área para criar mais emprego e riqueza no concelho.

Bombeiros Voluntários
EM: VILADENTRO Nº88

A equipa especializada na prevenção e combate aos incêndios (GRAF) da Catalunha e que deu formação recente em Portugal, defende que os actuais comandantes das corporações tem os dias contados.

Os comandantes dos bombeiros voluntários devem ser profissionais qualificados e devem estar além da hierarquia interna dos bombeiros. Os bombeiros sobem de cadetes a chefes, sete postos, e o principal responsável operacional não faz qualquer exame ou prova de aptidão ao cargo.

Os cursos podem ajudar mas não apagam fogos que não tem lei escrita. Tem de haver profissionais mas não se pode abandonar o voluntariado. Todos juntos são sempre poucos. Com tanta teoria vamos ver como vai ser o próximo verão.

Intercâmbio Sénior
EM: VILADENTRO Nº88

Está na moda a realização de passeios e festas e festins dançantes para o clube sénior. Tudo isto é importante. Porém ninguém se lembra dos outros seniores que estão em cadeiras de rodas ou acamados. É uma vergonha a falta de tanta sensibilidade.

O Lar de Lagos visitou o Lar da Misericórdia de São Brás de Alportel. Vieram cerca de oitenta pessoas. Almoçaram e conviveram uns com os outros. Foi um dia de festa para todos pois raramente acontece este intercâmbio.

23 maio 2006

DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS EM SÃO BRÁS DE ALPORTEL

O sonho de fazer dos Amigos do Museu de S. Brás uma organização verdadeiramente internacional que represente o universo das diferentes nacionalidades que hoje convivem no Algarve concretizou-se no último Domingo dia 21 de Maio.



O Museu promoveu um leque variado de actividades das quais se destacam: uma palestra sobre História de Portugal por Peter Booker, oficinas de danças de salão por Ernie Ellis e Lesley French, sapateado por Eunice Bray, representações teatrias pelo grupo de teatro “A Portada”, dança oriental por Jeanette Elliott, oficina de salsa coordeanada por Ricardo e Carmen Hoke. Uma das presenças mais apreciadas foi a de Carlos Mendonça que organizou oficinas de percussão árabe e africana – curiosamente a participação de alguns visitantes marroquinos residentes na nossa região transformaram a ocasião num momento muito especial.

O dia terminou com a primeira apresentação do Coro e Grupo Musical dos Amigos, que liderado por Walter Sulzer, integra elementos de nacionalidades portuguesa, inglesa e alemã.

O acontecimento foi transmitido ao vivo pela rádio Kiss FM.

22 maio 2006

PSD Vs Gripe das Aves

PSD promove sessão de esclarecimento sobre Gripe das Aves

A Comissão Política do PSD de São Brás de Alportel promove no próximo dia 27 de Maio um colóquio sobre a “Gripe das Aves”. A iniciativa está agendada para as 17:00 horas no auditório da Escola Secundária Dr. José Belchior Viegas.

O objectivo desta iniciativa é reunir um grupo de oradores com conhecimentos técnicos no campo da saúde e da veterinária e alguns com responsabilidades políticas a nível local, regional e nacional com o intuito de esclarecer a população sobre este tema.

A sessão de abertura fica a cargo de Gonçalo Mesquita, presidente da comissão política do PSD/São Brás. A iniciativa conta ainda com a presença de António Catalão Dionísio, chefe da Divisão de Intervenção Veterinária do Sotavento da Direcção Regional de Agricultura do Algarve, Filomena Horta Correia, médica e delegada de Saúde de São Brás de Alportel, José Manuel Ribeiro, deputado e membro da Comissão Parlamentar de acompanhamento da Gripe das Aves, Joaquim Gago Mendoza, veterinário e vereador da Câmara Municipal de São Brás. A sessão de encerramento fica a cargo de José Mendes Bota, deputado e presidente PSD/Algarve.

21 maio 2006

Afinal é Bianual

Prémios da Juventude são Bianuais. 2.º Edição é em Novembro 2006

No passado dia 1 de Abril, o sbras.blog “brincou” com o facto de não ter tido lugar no ano de 2005 os Prémios da Juventude, o que gerou uma série de comentários onde um anónimo lançou o desafio ao Jornal “O Sambrasense” para elaborar uma entrevista ao Presidente da Câmara Municipal, Eng.º António Eusébio, com as suas perguntas. O Jornal aceitou o desafio e eis o resultado.



VERSÃO INTEGRAL IN: "O SAMBRASENSE" - N.º255

Qual a intenção da Câmara quando pensou em atribuir prémios da Juventude aos sambrasenses?

AE – A intenção da Câmara na promoção dos prémios da juventude prende-se com uma aposta da autarquia na juventude. Sabendo que temos no concelho jovens com muito valor, julgamos ser importante premiar e dar a conhecer aos outros o seu mérito e exemplo, de modo a incentivar nas mais jovens gerações atitudes de cidadania, de dinamismo, de altruísmo… Assim nasceram os prémios da juventude que premeiam jovens com idades compreendidas entre os 15 e os 35 anos, que mais se destacam nas mais diversas áreas.

Na edição de 2004 as nomeações estiveram a cargo dos membros do Observatório Municipal da Cultura e do Desporto e das Escolas EB 2e3 e a Secundária e a votação foi alargada aos órgãos de comunicação social local. Nesta edição pretendemos alargar o processo de nomeações a toda a comunidade.

Qual a razão pela qual não houve prémios da juventude em 2005?

AE – Não se realizou uma Gala de prémios de juventude no ano de 2005, dado que esta é uma iniciativa bianual… foi uma decisão do unânime do Júri da 1.ª Edição para dignificar os prémios e abranger um maior numero de jovens num maior horizonte temporal.

Qual o significado destes prémios se não existir regularidade na sua atribuição?

AE – Como já referi os prémios da juventude tem um carácter bianual... A regularidade da sua edição é claramente um ponto importante.

Vão ser atribuídos prémios em 2006?

AE – Sendo bianuais, voltam-se a realizar este ano, a II Gala Prémios Juventude é dia 24 de Novembro.

Na sua opinião considera dignificante para os jovens sambrasense a atribuição de prémios ano sim ano não?

AE – Sendo Bianuais… nada retira à dignidade que se pretende com a sua realização. Pretendemos criar mais oportunidades, para que jovens, com valor, possam ser nomeados.


Está tudo dito Sr. Presidente, os prémios afinal são Bianuais!
O processo de nomeações vai ser alargado a toda a comunidade!?... vamos todos ajudar, deixa nos comentários a tua sugestão para os nomeados para os Prémio 2006... Não te esqueças tem que ser jovem dos 15 aos 35 anos e ser exemplo de atitudes de cidadania, de dinamismo, de altruísmo...

OUTRAS NOTICIAS:
DESAFIO LEITOR SBRAS BLOG
PREMIADOS EDICÃO 2004

20 maio 2006

O fim do Futebol Sénior São-brasense!

Quem não se dedica à formação tem os dias contados.

Os novos regulamentos da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) ditam o fim do futebol sénior são-brasense como nós o conhecemos, os clubes que não se dedicam à formação tem os dias contados.

Face a esta alteração de regulamentos a UDR Sambrasense e GDR Machados vêem-se numa posição desconfortável do ponto de vista da manutenção em competição das suas equipas seniores, já a Sociedade 1º Janeiro, única a possuir formação é também a única que não tem equipa sénior.

Assim caso não sejam reformuladas as estratégias desportivas concelhias o futebol sénior são-brasense está à beira da extinção.

Extinção dos Machados.

A extinção do Departamento de Futebol do GDR Machados parece inevitável. A vitalidade desta associação noutros tipos de acção possibilitam a extinção do futebol mantendo mesmo assim uma Associação forte, viva e com actividades anuais que grande interesse.

Já o caso da UDR Sambrasense é um pouco diferente, para evitar a extinção do futebol sénior, basta-lhe formar o escalão juvenil, uma vez que já possui juniores. Isto possibilitaria ter jogadores que vindos dos juvenis chegassem à equipa sénior com pelo menos três épocas no clube, cumprindo assim os regulamentos da FPF.

A Sociedade 1º Janeiro é indiferente a estas alterações, no entanto e do ponto de vista dos jogadores existe sempre a possibilidade de estas alterações condicionarem mais tarde o seu acesso ao futebol sénior.

Fusão a solução?

Nesta perspectiva surge a possibilidade de a UDR Sambrasense e a Sociedade 1.º Janeiro terem que se “juntar” a fim de manterem os seus escalões de formação e a sua equipa de futebol sénior.

Com a fusão da União e Sociedade e a extinção do futebol dos Machados com o que ficávamos? Ficávamos com 1 Clube de futebol, 1 campo relvado, 1 pelado p/sénior e 2 pelados p/iniciados, 1 equipa sénior, 1 juniores, 1 juvenis, 1 ou 2 iniciados, 1 ou 2 escolas… cerca de 150 atletas e umas infra-estruturas adequadas.

Passará por aí o destino do futebol São-brasense? Não sabemos, mas poderá ser assim, alguma coisa terá que ser feita. É sem duvida o fim do futebol sénior em São Brás como nós o conhecemos.

Clubes obrigados a investir na formação
In: Algarve Desporto

Clubes que não se dedicam à formação, por regulamento da FPF, vão ter os dias contados. Em comunicado (Nº 397) a Federação Portuguesa de Futebol, lembra que existe uma regulamentação a obrigar os clubes a inscreverem no modelo 143 (ficha técnica) um número mínimo de jogadores oriundos dos escalões de formação.

Para o distrital, são dez os jogadores oriundos do futebol jovem do próprio clube a mencionarem na ficha do jogo (modelo 143). Quanto à II e III Divisões nacionais, o número de jogadores formados no próprio clube e a incluir na ficha de jogo, é de oito. Cita o comunicado que se entende por jogadores dos escalões de formação do clube “aquele que tenha sido inscrito na FPF pelo menos durante três épocas desportivas entre os 15 e os 21 anos de idade”.

A Federação Portuguesa de Futebol emitiu este comunicado lembrando que os clubes podem inscrever livremente jogadores profissionais e amadores mas alerta que na época 2006/2007 (a próxima) os clubes têm obrigatoriamente de inscrever um número mínimo de jogadores formados localmente, profissionais ou amadores, nas fichas técnicas, documento que habitualmente chamada de ‘ficha de jogo’ mas oficialmente é o modelo 143.

Depois, para a temporada 2007/2008, a exigência quanto ao número de jogadores formados no clube e a inscrever na ficha de jogo, aumenta; Dez para II e III Divisões nacionais e 12 nas provas de âmbito distrital ou regional. Em resumo: Na época 2007/2008 qualquer equipa do distrital algarvio, por muitos jogadores experientes que tenha no plantel, terá obrigatoriamente de inscrever na ficha de jogo uma dúzia de atletas oriundos dos escalões de formação. Posto isto, quem não investir no futebol jovem, dificilmente poderá competir no escalão sénior.

Mas não é só no futebol amador que esta regra se aplica. Também o futebol profissional terá de cumprir com o que foi aprovado em Assembleia Geral da FPF no passado dia 13 de Maio, os seja; a inscrição na ficha de jogo de quatro jogadores formados no clube na época 2006/07, seis jogadores na temporada 2007/08 e oito jogadores na época 2008/2009.

Contudo, e sem prejuízo para os clubes, a FPF mostra alguma sensibilidade explicando que “face à necessidade de período de transição, para aplicação plena desta norma, na época 2006/2007 não se aplicará o disposto no número dois deste artigo”.

COMUNICADO OFICIAL FPF n.º 397 de 17.05.2006 (para ver clica aqui)

Etiquetas:

Sambrasense e Machados descem de Divisão




Com a permanência de Ferreiras e Lagoa na III Divisão, acabaram as preocupações de Parchalense, Culatrense e Algarve United na I Divisão Distrital. Já não vão haver mais descidas à II Distrital, a não ser as conhecidas: Ginásio de Tavira, Machados e Sambrasense.
Ao perder em Lagos com o Esperança (2-3) o Sambrazense viu confirmada a despromoção à II Divisão Distrital, acompanhando na queda, Machados e Ginásio de Tavira.

Avelino Condinho continua no Sambrazense

Apesar do Sambrazense ter descido de divisão, o técnico Avelino Condinho confirmou no final do jogo em Lagos que vai continuar ao serviço do emblema de S. Brás de Alportel e que a aposta para a próxima temporada será trazer de novo o clube à I Distrital, até porque o Sambrazense voltará ao Sousa Uva já com tapete verde.“Quando vim para servir o Sambrazense, fi-lo com forte disposição no sentido de conduzir o clube à desejada recuperação, mas infelizmente isso não aconteceu. O jogo em Lagos era importante, como se revelou. Marcamos primeiro, fizemos dois golos fora de casa, estivemos perto do terceiro e afinal foi a equipa adversária a ganhar a partida”, lamentou Avelino Condinho, ele que substitui Miguel Mendes no último terço da temporada e embora a equipa tenha dado de mostras de querer recuperar, os resultados não foram tão equivalentes quanto as intenções.

“A direcção convidou-se a continuar, aceitei, e posso dizer que já estamos a preparar a próxima época. A intenção é clara: fazer regressar o Sambrazense ao principal campeonato da nossa região até porque o clube já apresenta outras condições bem diferentes. O relvado está pronto e na próxima temporada faremos todo o campeonato na nossa casa e num tapete novo, de relva natural”, avançou Avelino Condinho.

19 maio 2006

Passeio TT “Trilhos do Caldeirão”

Domingo | 4 de Junho 2006 | Parque da Fonte Férrea




I Gala Nacional do Acordeão

São Brás de Alportel organiza I Gala Nacional do Acordeão
João Frade, campeão do mundo, é um dos convidados


Os sons do acordeão vão “invadir” o Auditório Municipal de São Brás de Alportel já no próximo dia 20 de Maio para estrear a I Gala Nacional do Acordeão. O primeiro ano de evento conta com a actuação de reconhecidos acordeonistas, caso de Ilda Maria, Anabela Silva, Lígia Cipriano, João Manuel, Fábio Guerreiro, João Filipe Guerreiro e João Frade.

Os bilhetes para o espectáculo estão á venda na Tesouraria da Câmara Municipal.

18 maio 2006

Nascimentos fora do casamento disparam

O Algarve apresenta uma taxa de nascimento fora do casamento acima da média nacional. Em Portugal a taxa é de 27,3% e no distrito de Faro ascende os 42%, segundo dados revelados pela Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve.

Os valores relativos ao ano de 2003 revelam que Aljezur é o concelho onde a taxa de nascimentos fora do matrimónio tem uma maior expressão, 54,5%. Segue-se Albufeira e Loulé com 48,1% e 48%, respectivamente.

Alcoutim também está acima da média regional com 46,2%, assim como Lagos com 46%. Faro é o concelho que se segue com 44,4% dos nados vivos fora do casamento e São Brás de Alportel contabiliza 43,5%.

Olhão teve uma taxa de 42,5% de nascimentos fruto de relações extra matrimoniais e Silves de 39%. O concelho de Portimão está perto da taxa de Silves com 38,9% e Lagoa registou 38,1%.

A taxa de Vila do Bispo chegou aos 38% e Monchique aos 32,4%. Vila Real de Santo António teve em 2003, 31,6% de nascimentos resultantes de relações extra matrimoniais e Tavira 31,2%. Castro Marim esteve fora da média regional com a taxa mais baixa de nados vivos fora do casamento, 16,3%.

Dados revelados no âmbito do Dia Internacional da Família pela Eurostat, gabinete de estatístico da União Europeia (UE), confirmam que Portugal ocupa o décimo lugar na lista dos 25 estados-membros no que toca à concepção de crianças fora do casamento. 31,6% das 4,8 milhões de crianças nascidas em 2004 no nosso país resultaram de relações extramatrimoniais.

17 maio 2006

Solidariedade com os Bombeiros

in Notícias de S. Braz

Solidariedade com os Bombeiros de S. Brás rendeu 1.530,00 Euros

O espectáculo realizado no passado dia 22 de Abril no Cine S.Brás de beneficência em prol da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de S.Brás de Alportel "arranjo do quartel" rendeu cerca de 1.530,00 euros.
Iniciou com um Porto de honra no hal de entrada do Cine Teatro, tendo prosseguido na sala de espectáculos, com um momento de música e multimédia, no concerto pela “Banda Luangraal”, seguindo-se um momento de dança, pelo Grupo de Danças da Escola Secundária João de Deus. À arte e á dança, juntaram-se as artes plásticas com a generosa oferta de um quadro , do pintor sambrasense Eduardo Dias que se associou assim da melhor forma ao evento e cuja obra de arte foi sorteada pelos presentes.
Este espectáculo memorável foi assim uma boa oportunidade para ajudar as obras no Quartel dos Bombeiros Voluntários outras iniciativas se esperam.

Bailes da Primavera e da Espiga

IN:NOTICIAS S.BRAZ

O Baile da Primavera organizado pela Junta de Freguesia no sitio da Cabeça do Velho na nova Sede do Futebol Clube no Campo de Futebol daquele sítio no passado dia 23 de Abril saldou-se por mais um êxito.

Para todas as idades e com entradas gratuitas este Baile da Primavera à semelhança dos Chás Dançantes organizados pela Junta de Freguesia juntou muitos habitantes daqueles sítios mas também muitos idos da Vila e de outros sítios dando assim um colorido e animação a mais esta iniciativa da Junta de Freguesia.

No próximo dia 25de Maio também organizado pela Junta de Freguesia realiza-se o tradicional Baile da Espiga desta vez no recinto da escola das Mealhas a partir das 18 horas com entrada gratuita

16 maio 2006

Serra do Caldeirão pode tornar-se um deserto

IN:OBSERVATÓRIODO ALGARVE

A reflorestação da serra do Caldeirão está atrasada. Os projectos lançados para combater a desertificação, desde os grandes incêndios de 2003, ainda não passaram do papel e a cortiça é o sector mais atingido.

A criação da “Capital Histórica da Cortiça”, um projecto que pretende revitalizar o desenvolvimento económico de S. Brás de Alportel, pode “cair por terra” caso a reflorestação da Serra do Caldeirão continue por se concretizar.

A denúncia é feita ao Observatório do Algarve pelo presidente da Delegação Regional do Baixo Alentejo e Algarve da Associação de Industriais e Exportadores de Cortiça (AIEC), Carlos Jacinto, que se mostra inquieto pelas “dificuldades que os produtores florestais estão a encontrar no acesso aos fundos comunitários para reflorestar as suas propriedades”.

“A carga burocrática exigida está a desmoralizar os produtores florestais (cortiça) em se agruparem”, lamenta Carlos Jacinto, quando essa é uma prioridade para se constituírem as Zonas de Intervenção Florestal, ainda por concretizar no Algarve e “sem elas não há reflorestação”, acentua.

O presidente regional da AIEC cita o “bom exemplo” que se verifica em Espanha, também atingida pelos incêndios florestais: “A burocracia é menor e já estão a intervir na reflorestação para evitarem a desertificação dos solos”.

“Segundo especialistas nessa área e que se reuniram recentemente no Algarve, ao não se fazer nada no espaço de uma década, o Caldeirão não passa de um deserto. Pois se não intervirmos já, ficamos sem solo, porque foi destruído pelas sucessivas chuvas”, revela Carlos Jacinto.

No Algarve, os incêndios que devastaram a maior área de floresta de sempre (18 mil hectares), com acentuada predominância de sobreiro na Serra do Caldeirão, já se registaram há três anos e “nada foi feito no terreno, não se passa dos projectos”, queixa-se o mesmo dirigente associativo.

Os planos de reflorestação são elaborados, mas “dificilmente chegam a ser financiados por causa de barreiras burocráticas”, denuncia.

A AIEC sai assim em defesa dos produtores florestais, porque “sem uvas não se faz vinho e sem sobreiros nada de faz em cortiça”. Um sector que também carece de uma profunda reestruturação, e anseia por apoios comunitários no âmbito do programa Prime.

Todavia, “esta agro-indústria sobrevive no Algarve em pequenas e médias empresas corticeiras e os fundos só estão adaptados aos grandes projectos, quando os pequenos é que dinamizam a economia”, frisa Carlos Jacinto.

Fogo, seca e declínio atingem o Caldeirão

Dificuldade que se estão a acentuar na floresta algarvia, resultado de três factores: os fogos, a seca e o declínio (doença que está a atingir os sobreiros e ainda sem cura).

O sector corticeiro representa no distrito de Faro importante fonte económica, sendo S. Brás de Alportel o concelho que se distinguiu durante décadas como o maior centro fabril do sector.

Localidade que conta, apesar de todas as dificuldades registadas, tornar-se também na “Capital Histórica da Cortiça”, onde espera a implantação de uma unidade associativa de cosedura e uma unidade de aproveitamento dos derivados da cortiça (os queimados inclusive).

Em 2003, arderam na Serra do Caldeirão 18 mil hectares de floresta com predominância de sobreiros, situada numa região onde se produzem anualmente 3 750 mil toneladas de cortiça, o que representa cerca de 12,5 milhões de euros, sendo também a mais valorizada por ser de superior qualidade.

Portugal é ainda o maior produtor do mundo de cortiça com 8 milhões de arrobas anos

A AIEC foi criada em 28 de Maio de 1993, tem a sua sede em S. Brás de Alportel e desenvolve a sua actividade em todo o Algarve e Baixo Alentejo, com 23 associados, que empregam 450 pessoas e têm um volume de facturação aproximado de 50 milhões de euros, tendo como objectivo principal a defesa da fileira nos seus aspectos agricola, florestal e agroindustrial.

A associação está a procurar agregar as cerca de 50 empresas existentes actualmente nesta zona, com as quais contam representar mil postos de trabalho directos e um volume de negócios de 80 milhões de euros.

A riqueza suberícola destas duas regiões, criam pelo menos 50% dos sobreiros Portugueses que produzem 5 milhões de arrobas (75 000 toneladas) com um valor aproximado de 250 milhões de euros.

Segundo dados de comércio externo recolhidos e publicados pela FAO em 1995, a cortiça e os produtos de cortiça ocupavam a sexta posição entre os grupos de produtos florestais não lenhosos transaccionados nos mercados internacionais, a seguir à borracha, ao bambu, ao vime e produtos similares, às plantas com uso farmacêutico, aos frutos secos e à raiz de giseng.

14 maio 2006

Furtos em S. Brás de Alportel

Homem nu põe em fuga ladrões de restaurante

IN: CORREIODAMANHÃ - 13/05/2006

Um trio de assaltantes semeou a confusão na madrugada de ontem, em São Brás de Alportel. Os três meliantes, com idades compreendidas entre os 18 e os 25 anos, furtaram três viaturas e assaltaram três restaurantes na vila.

Surpreendidos por um homem completamente nu, proprietário do restaurante Pérola, o último a ser assaltado, largaram o produto dos roubos na rua. A GNR recuperou as três viaturas furtadas, mas o trio pôs-se em fuga a pé.

António Luís, dono do Pérola, estava, pelas 03h00, a dormir numa arrecadação do restaurante. Acordou com a luz de uma lanterna nos olhos. “Saltei da cama e fui-me a eles”, afirma António, que só quando chegou à rua reparou que estava nu. “Ainda os vi meterem-se numa viatura e acelerarem rua abaixo”, conta o homem, que afiança que os assaltantes “tiveram mais medo do que eu”.

O trio iniciou os assaltos à 01h30, no restaurante Cantinho da Serra. Furtaram uma máquina, 20 euros e o Fiat Tipo do dono. Seguiram para o Beira Serra onde, pelas 02h30, furtaram um plasma, 20 euros e o Fiat Uno do dono. Depois do assalto ao Pérola, o trio ainda furtou um Ford Fiesta.

Teixeira Marques

Nu assustador

IN: OCARVALHADAS

"Um trio de assaltantes semeou a confusão na madrugada de ontem (12/05/2006), em São Brás de Alportel. Os três meliantes, com idades compreendidas entre os 18 e os 25 anos, furtaram três viaturas e assaltaram três restaurantes na vila. Surpreendidos por um homem completamente nu, proprietário do restaurante Pérola, o último a ser assaltado, largaram o produto dos roubos na rua. A GNR recuperou as três viaturas furtadas, mas o trio pôs-se em fuga a pé."

Estão a brincar? Se aparecesse um tipo nu à nossa frente, também fugiamos. Agora se fosse uma gaja ... Foi pena aparecer o tipo porque os putos, com aquele andamento, ainda cpnseguiam assaltar os restaurantes todos da vila e habilitarem-se ao guiness. Deviam arranjar um bom advogado e pedir indemnização.

13 maio 2006

O Poder ganhou outra vez…


“O Sambrasense” volta o pico ao prego!

Depois da controversa edição de Abril, que fomentou a contestação à edilidade são-brasense com as noticias da demolição do edifício da Rua Serpa, do perigo na escola nova e da existência, a publicidade a este espaço na Internet e a brincadeira de 1º de Abril que anunciava a demolição do prédio de 10 andares, eis que surge a edição de Maio.

Recheada de pedidos de desculpa, direitos à resposta e explicações mal explicadas, o Jornal “O Sambrasense” apresenta-se de novo na sua forma original. São fotos da edilidade quanto baste, são em textos cuidados onde se procura promover os mesmos de sempre, é o pouco rigor e alguma distracção na informação, é o que se diz e o que se faz, e para terminar são 7 paginas só para divulgação das actividades da Câmara Municipal nos últimos 4 meses.

Enfim, Só lendo é que se pode avaliar se a mudança vale a pena…

Uma coisa ficou clara, o poder ganhou outra vez!...

a gerencia

Para terminar relembramos que o nosso "colaborador" - Reporter espAcial - advinhava/sabia o que ia acontecer... a sua reportagem quase se transformou em realidade. (ver artigo)

O Direito à resposta…

Em Maio de “O Sambrasense” destaca-se pelo Direito à Resposta.

Ao abrigo do art. 26 da Lei de Imprensa, são quatro, os “ofendidos”, que reclamam o cabal esclarecimento das referências a sua pessoa ou ao seu trabalho ou simplesmente porque acham que tem que contar a sua versão das peças publicadas na passada edição do jornal local.

1… De Quim João

O treinador da equipa de juniores da UDR Sambrazense, em virtude da peça escrita pelo ex-director a quando do anúncio da sua saída do jornal, quer deixar claro que nunca faltou ao respeito ao ex-director do Jornal, sr. Severino, apresentando a sua versão dos factos. Diz quem assistiu à conversa entre os dois que não foi bem assim, nunca saberemos realmente.

A verdade é que o Sr. Severino já foi, e Quim continua por cá!

2… De Pedro Cavaco

O empresário, dono da empresa Infrabarra, Lda. com quem a edilidade fez um negócio (lícito) na qual a Câmara ganhou uma loja situada na Avenida da Liberdade a titulo de área de cedência, vem refutar o “alegado” negócio referido na noticia “Demolição Absurda”. Dado o teor da peça pouco cuidada e difamatória, segundo Pedro Cavaco, a promessa de levar o Jornal para a barra do tribunal ficou no ar.

Se por um lado ficou agora claro é que a Infrabarra, Lda cedeu a loja à Câmara municipal, por outro lado os são-brasenses ainda não ficaram esclarecidos sobre o que a Câmara deu em troca.

3… De GAT – Gabinete de Apoio Técnico

O director do GAT, Eng.º Brito sai em defesa da obra (Escola Nova EB n.º 3 e Jardim de Infância) apresentando argumentos técnicos e decretos de lei, demonstra que está tudo dentro da lei não havendo qualquer razão de ser a noticia “No melhor pano Cai a Nódoa” pois não existe perigo de morte nas arestas ou no próprio “tanque ou o que é que é aquilo”.

Na verdade a única coisa ao certo que os são-brasenses ficaram a saber foi o “que é aquilo” chama-se de espelho de água com 10 cm de altura que serve para as crianças brincarem e deve ser esvaziado depois de cada utilização! Coisas de Engenheiro, não serve para nada mas… é bonito!

4… De Câmara Municipal

O presidente, Eng.º António Eusébio desagradado com as “insinuações” referidas na peça “Demolição Absurda” exige publicação dos seus esclarecimentos sobre a matéria. Assim, dois meses, muita polémica, algum mau estar e muito pensar depois a câmara municipal faz saber o seguinte:

Ponto1 – “A demolição do edifício n.º 16 da Rua Serpa Pinto teve única e exclusivamente a ver com razões técnicas, pois ameaçava ruir, facto que significava um rico para a segurança de pessoas e bens no local.”

Todos temos presente que a casa era constituída por 3 partes (a casa n.14, o armazém n.16 e a ruína n.18), foi próprio António Eusébio que afirmou isso em directo na televisão, admitindo a ruína poderia cair, isso não explica a destruição por completo do armazém, especialmente depois de reconhecer que estava a ser usado!...o sr. presidente continua a esconder-nos algo?!)

Ponto 2“A CM repudia as insinuações que a demolição esteja de algum modo ligada a quaisquer negócios com pessoas colectivas ou individuais, e mais esclarece que:

a) A loja situada na Avenida da Liberdade Lote 8, foi cedida à autarquia pela firma Infrabarra, Lda. a título de área de cedência, conforme o previsto na Lei, resultado da edificação pela empresa do Lote 8, e que nada tem haver com a demolição em causa.”

(deixe lá ver se o entendemos bem sr. Presidente, a câmara em troca da edificação do Lote 8 recebeu uma loja?... a modos de quê?... então e o apartamento?... e a Câmara não deu nada em troca é isso?... não entendemos, desculpe!)

b) Também não corresponde à verdade que a demolição tenha a ver com qualquer negócio com alegados proprietários de parcelas onde se situava o edifício demolido, uma vez que o mesmo se situava em terrenos municipais mais concretamente:

i. Uma parte do edifício situava-se no Lote 1 junto à Rua Serpa Pinto pertencente ao domínio privado municipal desde 1996 livre que qualquer ónus ou encargos, como área de cedência resultante do Alvará de Loteamente n.º 2/92”

ii. A outra parte do edifício, situava-se na área circundante ao referido Lote 1 pertencente ao domínio público municipal também como área de cedência resultante do mesmo Alvará”

Isto é mesmo para ninguém entender! Quando foi que António Eusébio descobriu que afinal os edifícios demolidos eram seus?... Porque não disse isto na televisão e ao Jornal de Noticias quando lhe pediram explicações, em vez de lamentar o lapso primeiro, e depois garantir que tinha autorização da senhoria?... Aqui está muita coisa mal contada, dois meses depois ao que parece o edifício demolido afinal estava em terrenos da câmara e mesmo não tendo que o fazer, ainda teve a gentileza de escrever a senhoria (?) para pedir a demolição do mesmo… e a senhoria deu autorização para demolir um armazém que sabia arrendado?... sem nada em troca?... Definitivamente esta Câmara é uma simpatia. Tão simpática que cada vez que emite um Alvará recebe, a titulo de cedência, uma loja, um apartamento ou uma casa!...

Mas vamos realmente ao que interessa, e o que interessa não foi esclarecido pelo sr. Presidente:

Que realmente se passou com a demolição do armazém? O sr. Presidente, afirmou na comunicação social que a firma encarregue da obra de reabilitação na Rua Serpa Pinto, o alertou para existência da a ruína e sugeriu a sua demolição, que veio a acontecer após ter sido solicitado autorização às pressas via fax à senhoria, proprietária da ruína e armazém. Esta, segundo António Eusébio respondeu positivamente (à demolição do armazém que sabia arrendado?). Disse também que lamentava o sucedido com armazém, pois desconhecia a existência dele e do seu arrendamento a terceiros, mas nunca nos explicou porque ordenou que a demolição continuasse após ter sido informado sua existência, o que aconteceu ainda o armazém tinha as quatro paredes. Agora que está demolido nem a camara nem a senhoria falam da possibilidade de erguerem um novo e seguro armazém. (a senhora fica sem armazém, perde o terreno para a câmara e não quer ou não lhe foi dado nada em troca?!... a titulo de cedência por exemplo)

Entretanto, por iniciativa do arrendatário do armazém, dá entrada no ministério público queixa crime contra, entre vários, a câmara municipal, e de pronto é dada ordem à câmara municipal para recolher o entulho resultante da demolição do armazém por forma ao tribunal apurar os danos causados pela câmara municipal. António Eusébio reconhece os danos causados (ou não reconhece?!) e em conjunto com o arrendatário tentam apurar o valor da mais que certa indemnização a pagar (que por certo não serão mais que 10% dos tais 5oo mil euros que se falava) a decidir pelo tribunal.

Agora dois meses depois, António Eusébio exige a publicação de esclarecimento, onde confirma a prática da cedência de lojas e/ou terrenos por parte das firmas e/ou particulares em troca de alvarás de loteamento, tudo estritamente dentro da lei.

A revelação destas praticas deixam a possibilidade de se especular sobre a existência de mais destes negócios legítimos. E se não se confirma que o “negócio” da loja do Lote 8 na Avenida tenha alguma coisa a ver com a demolição, fica a possibilidade legitima e legal de haver outro destes “negócios” de cedência para o loteamento do Lote 1 da Rua Serpa Pinto com quem quer que seja que o vá fazer. Com possibilidade, mais uma vez legitima e legal da senhoria também poder ter parte nestes negócios de cedência!... Tanta especulação leva-nos a considerar que a demolição possa ter promovido um "despejo forçado"....Está tudo por esclarecer!

Mas a revelação mais surpreendente deste esclarecimento camarário acaba por ser a “descoberta” que afinal que os terrenos onde se situavam o armazém e a ruína são da câmara municipal, tendo sido cedidas sem encargos em um daqueles “negócios” lícitos em troca de um alvará de loteamento. O que faltou mesmo saber quem era o titular do Alvará de Licenciamento 2/92 que cedeu o terreno (lote 1 da Rua Serpa Pinto e zonas circundantes) e onde se vai situar o loteamento licenciado com o alvará 2/92?... não será a firma Infrabarra ou outra ligada ao empresário Pedro Cavaco, perguntamo-nos?... também gostariamos de saber qual era a area do lote 1, pois fala-se que este englobava toda a ruina (n.18 da Rua Serpa Pinto) e cerca de dois metros do armazém (n.16 da Rua serpa Pinto), a ser verdade fica ainda outra pergunta no ar... como é isto possivel?...

Enfim, este esclarecimento revela bem o desconcerto que reina na câmara municipal em relação ao assunto da demolição, pouco habituados a pressões, este é o produto de mais uma das impulsivas necessidades para arranjar explicações demagogas e populistas na tentativa de controlar a opinião pública são-brasense… Simplesmente vergonhoso!… e depois ainda admiram-se que se façam “insinuações” a sua actuação... francamente!

Vai ser necessário muito mais que isto para a Câmara Municipal fazer desaparecer o maior desacerto dos 5 anos que António Eusébio assumiu a presidência

Chamem a Policia, os são-brasenses exigem o cabal esclarecimento desta história!


NOTICIAS ANTERIORES:
DEMOLIÇÃO ABSURDA - ACTUALIDADE
DEMOLIÇÃO ABSURDA - EM "O SAMBRASENSE"

DEMOLIÇÃO AS ACUSAÇÕES - EM "O SAMBRASENSE"
DEMOLIÇÃO NA RUA SERPA PINTO
DEMOLIÇÃO POR LAPSO ENGOLE MEMÓRIAS DE UMA FAMÍLIA

11 maio 2006

Tempo de Balanço

Passados mais de 6 meses após a reeleição de António Eusébio, é tempo para fazer-se um balanço deste início do segundo mandato.

António Eusébio iniciou o ano de 2006 sem a habitual “Presidência Aberta” que servia, segundo a edilidade, para sentir, ver e ouvir "in loco" os problemas e as necessidades dos munícipes. Durante este período o presidente aproveitava para visitar algumas das obras em curso, inaugurar obras concluídas, visitar as escolas e acompanhar a digressão das tradicionais “Charolas” pelo concelho.

O “mau estar” causado por noticias como a demolição do armazém na Rua Serpa Pinto cuja reabilitação tem sido alvo de alguma contestação, bem como as polémicas acerca do possível encerramento de alguns serviços que a câmara prestava por falta de dinheiro para colocação de funcionários e o impedimento de colocar funcionários na nova escola primária/jardim de infancia pelo mesmo motivo, as nomeações de familiares para cargos políticos de confiança, e as contestações à politica desenvolvida pela autarquia em questões importantes para o concelho como o Parque Industrial, o Terminal Rodoviário, o Parque Desportivo, entre muitas das promessas que teimam em não ser cumpridas podem ser a causa da decisão de António Eusébio, não efectuar este ano a Presidência Aberta 2006.

Por tudo isto e muito mais, achamos que esta é a altura para os nossos leitores fazerem o balanço destes primeiros seis meses do 2.º mandato de António Eusébio.



deixa a tua opinião
aqui em baixo nos comentários!
(Aproveita e faz-te ouvir, a autarquia está atenta aos teus problemas!)

10 maio 2006

“Mês do Coração” em São Brás de Alportel

IN:REGIAOSUL

Rastreios, acções de sensibilização sobre doenças cardiovasculares e muito exercício físico são as para esta edição dedicada ao combate à Obesidade.

O município de São Brás de Alportel promove durante o mês de Maio mais uma edição do programa de sensibilização para a prevenção das doenças cardiovasculares - “Mês do Coração”. O objectivo é informar e sensibilizar os munícipes para esta temática apelando à adopção de hábitos de vida mais saudáveis, de modo a prevenir as doenças do coração, a maior causa de mortalidade na sociedade portuguesa.

No manhã de sábado decorreu, junto ao Mercado Municipal, uma sessão de sensibilização sobre os problemas cardiovasculares na qual se realizaram um conjunto de rastreios relacionados com os principais factores de risco, nomeadamente a hipertensão artéria, os níveis elevados de glicemia e colesterol, o índice de massa corporal e a medida do perímetro abdominal. A iniciativa foi acompanhada pelos enfermeiros do Centro de Saúde de São Brás e do Serviço de Cardiologia do Hospital Distrital de Faro.

(Os enfermeiros e técnicos trabalham e a câmara promove... a sua imagem! sim senhora, boa iniciativa para um problema que cada vez afecta mais sambrasenses. )

09 maio 2006

Guerra à gordura nas cantinas escolares


O Patrick, do 8.º ano da Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo Passos, em São Brás de Alportel, prefere o bar à cantina. Porque "sempre é mais fixe comer uns cachorros e beber Coca-Cola do que sopa e aquelas comidas chatas que a minha mãe me obriga a comer em casa".

Na sua independência, Patrick é uma excepção à regra a maioria dos alunos do estabelecimento algarvio - 300 num universo de 550 estudantes - procura diariamente a comida da dona Maria Otília Neto, a cozinheira que desde a inauguração da escola, há 12 anos, confecciona as refeições para os seus "meninos".

"Face a tão elevada procura, só podemos concluir que a comida é saborosa e de boa qualidade", afirma, com inusitado orgulho, Maria João Carvalho, a vice-presidente do conselho executivo, que nos últimos sete anos tem vindo a desenvolver práticas para garantir a qualidade, higiene e segurança alimentar das refeições servidas na escola.

Uma empresa especializada na área faz auditorias trimestrais aos procedimentos e qualidade das instalações da cozinha, passando depois pela própria formação da equipa que ali trabalha. O objectivo, explica a docente, é "identificar e corrigir os pontos críticos do processo, desde que o alimento chega à escola até que é servido no prato".

A elaboração das ementas é outro aspecto que merece "toda a atenção" . Arroz de polvo e massada de tamboril, regada apenas a azeite, são pratos que constam do menu. "Todos os pratos são servidos com salada de alface, tomate ou cenoura e a sobremesa é sempre fruta", salienta. A miudagem gosta, até porque, conforme frisa Maria Otília Neto, "os pratos de peixe, que não agradam à maioria, não têm espinhas. Eu encarrego-me de tirá-las, para eles comerem como deve ser".

A preocupação da escola com as refeições que serve é indiscutível, mas o actual cenário ainda não é o "ideal". É que este estabelecimento já foi analisado pela equipa do Gabinete de Nutrição do Centro Regional de Saúde Pública do Algarve, no âmbito de um projecto pioneiro a nível nacional, que visa melhorar, em quatro anos, a qualidade nutricional das refeições nas escolas da região.

O programa arrancou no ano lectivo passado e os resultados das amostras recolhidas nas escolas não são animadores. "A maior parte das cantinas não cumpre o critério que aponta para que 60% das confecções sejam pobres em gordura e à base de estufados, cozidos e grelhados", revela Teresa Sancho, coordenadora do Gabinete de Nutrição. Pelo contrário, aposta-se demasiado em "fritos, assados no forno e refogados".

Finalizada a fase de recolha e análise das ementas, far-se-á o diagnóstico da situação, elaborando-se relatórios por escola e município. Segue-se depois a formação de quem faz as ementas e trabalha na cozinhas das escolas. Assim se espera inverter a actual situação - e convencecer jovens como Patrick a trocar os cachorros e a Coca-Cola pelos cozinhados da dona Otília.

Fogos Florestais - Prevenção

Nos últimos anos o nosso País foi fustigado por um elevado número de fogos florestais que tiveram graves consequências no património ambiental e económico.

A defesa da floresta é hoje um desígnio nacional e, à Guarda Nacional Republicana foram atribuídas novas missões em matéria de protecção e socorro e no âmbito da vigilância e prevenção dos fogos florestais.

Ao longo da próxima semana e cumprindo o plano já definido uma Companhia do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) irá instalar-se no Algarve, ficando o seu comando sedeado no Quartel do Grupo Territorial de Faro.

O GIPS tem como principal missão evitar e controlar os incêndios nascentes, facilitando o papel tradicional de combate, que continua a ser uma competência dos bombeiros.


08 maio 2006

Desemprego aumenta entre licenciados

O Algarve registou uma descida ténue, menos 671 desempregados em Março de 2006, quando comparado com o período homólogo. A tendência inverte-se na classe dos licenciados, já que em vez de diminuir os 873 desempregados, o número evoluiu para 944, segundo dados revelados pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

Albufeira, Loulé, Olhão e Vila Real de Santo António foram os concelhos onde se registou um crescimento de desempregados com ensino superior. Quase 950 licenciados inscreveram-se nos centros de emprego do Algarve, mais 71 do que em Março de 2005.

O panorama nacional acompanha o crescimento regional uma vez que em Março de 2005 o número de desempregados com ensino superior era de 36574, um ano depois o valor aumentou para 41808, segundo o IEFP.

O concelho com maior número absoluto de desempregados no Algarve foi o de Portimão com 2741, mais 12 do que em período homólogo. Faro também viu aumentar a lista com 2094, mais 71 que no ano passado. Loulé diminuiu ligeiramente de 1882 em Março de 2005 para 1854 em 2006.

Albufeira tem mais 73 desempregados, somando 1526. Olhão reduziu o número de inscritos no centro de emprego de 1450 para 1373. Em Silves o valor passou de 1254 para 1289 em Março de 2006. Em Lagoa o desemprego também aumentou totalizando 1054 inscritos.

No concelho de Lagos a tendência foi outra com 960 desempregados contra os 1158 do ano anterior. Em Vila Real de Santo António a redução ultrapassou as duas dezenas, de 1020 em 2005 para 808 em 2006. Tavira também contribuiu para a descida global com 685 inscritos, menos 123 do que em período homólogo.

Castro Marim reduziu a lista de pessoas à procura de emprego de 263 para 209. Vila do Bispo passou de 194 para 177 inscritos. São Brás de Alportel mantém a descida com menos 39 desempregados do que em Março de 2005, contabilizando 168. Aljezur contabilizou mais seis do que no ano anterior, totalizando 166 desempregados.

Monchique e Alcoutim também reduziram o número absoluto de desempregados, com 164 e 57, respectivamente.

A nível nacional o desemprego registou uma descida, comparativamente com igual período do ano anterior, atingindo os 468470 contra 472711 em 2005.


Bilhetes à venda, na Tesouraria da Câmara Municipal de São Brás de Alportel.
Lotação Limitada!!!
Desculpem... Lotação Esgotada!!!

A Câmara Municipal escreveu-nos...
últimos 50 bilhetes vão ser postos à venda amanhã (10/5)

07 maio 2006

O Nuclear - Conferência


caros amigos da al-portel aqui terão sempre publicidade de borla!... he! he! he!
podem mandar que nós divulgamos!

06 maio 2006

Ecovias do Algarve

No dia 4 de Março, por feliz coincidência dia do nascimento do Infante D. Henrique, foi celebrado o evento para o lançamento da primeira pedra da Ecovia do Litoral no lugar a partir de onde, por definição, se entendeu iniciar a contagem dos 214 km desta infra-estrutura - o Cabo de S. Vicente - parte de um projecto ainda maior, a Rota n.1 do Plano Eurovelo.

Aproveitada a ocasião, foi igualmente dado inicio à campanha de "Promoção das Ecovias do Algarve", resultado de um protocolo assinado entre os representantes da AMAL, CCDR-Algarve, Direcção Regional de Educação do Algarve e Governo Civil do Distrito de Faro a 21 de Dezembro de 2005 e homologado pelo Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Desenvolvimento Regional. O objectivo daquela é de estender o âmbito regional do projecto e alargá-lo ao envolvimento e sensibilização de toda a população, em particular de todos os utentes da via pública, motorizados e não-motorizados. Decorrente do facto de parte significativa da Ecovia se desenvolver sobre estradas e caminhos com tráfego misto, procura-se apelar ao harmonioso convívio dos diferentes meios de transporte no estrito respeito pelas regras do Código da Estrada.

05 maio 2006

Abílio Barros abandona PS/São Brás

Abílio Barros renunciou o seu lugar como membro da Assembleia de Freguesia de São Brás de Alportel.

Em carta dirigida à Assembleia de Freguesia apresentou como razões para a sua renúncia, em primeiro lugar motivos pessoais relacionados com a sua idade e o seu estatuto de aposentado e em segundo por não estar de acordo com a actual constituição da Junta e Assembleia de Freguesia, que nada têm haver com as listas apresentadas ao eleitores São-Brasenses, uma vez que o seu nome tinha sido apresentado como o numero três da lista do PS para a Freguesia e após a constituição dos órgãos acabou relegado para posições que não são representativas das listas apresentadas.

Recordamos quer na Lista do PS para a Freguesia, quer na campanha eleitoral, Abílio Barros foi apresentado aos São-Brasenses como um reforço de peso para a Junta de Freguesia pela sua experiência e conhecimentos.

Quem é Abílio Barros.

Abílio Barros é figura incontornável no PS/São Brás, Bancário Aposentado, Provedor da Santa Casa de Misericórdia de São Brás há já alguns anos, Presidente da Assembleia da ACREMS (Associação Cultural e Recreativa Escola de Música Sambrazense), Vereador da Câmara Municipal durante 11 anos (de 1990 a 2001) onde desempenhou o cargo de Vice-Presidente tendo inclusive assumido o cargo de Presidente da Câmara Municipal entre Junho e Dezembro de 2001 após o falecimento do Dr. José Pires.

Porquê o abandono.

Além das razões apresentadas em carta dirigida à Assembleia de Freguesia, a sua relação com o actual elenco camarário há muito que vinha a degradar-se, nomeadamente com o vereador Vítor Guerreiro, com quem teve acesas discussões nas reuniões do Observatório para a Cultura e Desporto. Diz quem assistiu a estas reuniões que a prepotência e a falta de respeito demonstrada pelo Vereador da Cultura para com Abílio Barros na altura como representante da Sta. Casa de Misericórdia nessas reuniões ditaram o seu afastamento do Partido que durante anos ajudou a crescer e a cimentar a representação que hoje ocupa na sociedade São-Brasense.

3º aniversário do Clube de leitura

Clube de leitura de São Brás comemorou 3º aniversário

A Biblioteca Municipal de São Brás comemorou o Dia do Livro, com a passagem do 3º aniversário do Clube de Leitura “Ler para Viver”, fundado por João Belchior Viegas, em 23 de Abril de 2003.

A responsável pela Biblioteca, Teresa Oliveira, referiu que “nesta data as bibliotecas desafiam a novas descobertas e os encontros inesperados através dos livros”, reafirmando assim a importância da leitura no quotidiano, onde concorre com as novas tecnologias da informação e da comunicação.

O Clube de leitura, que conta com um número cada vez maior de “amigos dos livros”, pretende ser um fórum de discussão, de partilha de ideias, opiniões e criticas relativas às obras seleccionadas pelos membros do Clube, no intuito de contribuir para uma leitura critica e exigente.

04 maio 2006

“São Brás para todos” ?


Câmara Municipal investe na criação de um circuito acessível


No passado dia 30 de Março 2004, António Eusébio informou, em reunião de Câmara, que tendo como objectivo iniciar o processo de definição e criação de um circuito acessível em São Brás de Alportel, foi já realizado o levantamento das barreiras arquitectónicas dos edifícios, estabelecimentos que recebem público e via pública dos aglomerados urbanos do Município de São Brás de Alportel.

Os trabalhos iniciaram-se em 2003 e estão agora disponíveis para consulta e constituem a base dos trabalhos seguintes.

A realização deste levantamento, primeiro passo para criar este circuito acessível, complementou o trabalho desenvolvido no âmbito do Projecto Bombordo, promovido pela Segurança Social de Faro, do qual a autarquia são-brasense foi parceiro activo e constituiu uma forma digna do Município assinalar as comemorações do Ano Europeu das Pessoas com Deficiência.


“São Brás para todos”


O levantamento teve em consideração que as pessoas com deficiência são os principais cidadãos afectados pela existência de barreiras arquitectónicas, bem como a competência da autarquia, na fiscalização do cumprimento das normas técnicas, enquanto entidade licenciadora; e permite perspectivar uma intervenção concertada, em termos da acessibilidade do meio edificado, tendo como objectivo dar início ao processo de definição e criação de um circuito acessível em São Brás de Alportel.

Na mesma ocasião, o autarca acrescentou que o esforço e empenho da autarquia, no âmbito desta matéria vai prosseguir e que outros trabalhos estão a ser preparados e serão realizados até estar cumprido o objectivo de tornar São Brás de Alportel um Município acessível a todas as pessoas com mobilidade reduzida.


Marlene Guerreiro - CM/S. Brás de Alportel - 2004-04-22


Passaram-se 2 anos e quê?... onde ficou o São Brás para todos?... passeios, acessibilidades aos edifícios públicos, telefones, Multibanco, as barreiras arquitectónicas teimam em manter-se. Já para não falar nas rampas “assassinas” construídas há dois anos para transpor passeios!... atão os engenheiros na câmara não sabe o ângulo que deveriam ter?... não andam de cadeira de rodas, não é!

Tá visto… “São Brás para todos” não passou de mais conversa fiada do engenheiro!!!

03 maio 2006

Câmara sem plano contra incêndios

Câmaras algarvias sem planos contra incêndios.

Metade das 16 câmaras do Algarve ainda não deram um passo para elaborar os obrigatórios Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios. Documentos que pretendem dar a conhecer o terreno, para melhor evitar ou combater os incêndios.

Metade das câmaras municipais do Algarve ainda não iniciaram o seu Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI), uma autarquia já concluiu (Loulé) e sete estão em curso (Aljezur, Vila do Bispo, Lagos, Monchique S. Brás de Alportel, Silves, Tavira ), soube o Observatório do Algarve de fonte ligada ao processo.

O PMDFCI tem como objectivo definir as medidas necessárias à defesa da floresta contra incêndios, no âmbito da prevenção, planeamento integrado, na previsão das intervenções das diferentes entidades envolvidas perante a eventual ocorrência de fogos.

O seu enquadramento legal surgiu com o Decreto-Lei nº 156/2004, de 30 de Junho, e as suas linhas orientadoras, segundo o Governo, estão definidas no Plano Nacional de Defesa da Floresta Contra os Incêndios (PNFCI), o qual é considerado “um instrumento operacional de planeamento, programação, organização execução de um conjunto de acções de prevenção, pré supressão e reabilitação das áreas ardidas”.

O governo pretende com os vários planos municipais e nacional “aumentar a resistência do território aos incêndios florestais, reduzir a sua incidência, através de uma melhor eficácia e eficiência do ataque e gestão dos mesmos”.

02 maio 2006

São-brasenses percorrem caminho da fé

Comemorações da Aparição de Nossa Senhora - 13 de Maio
Peregrinos são-brasenses percorrem caminho da fé até Fátima

Um grupo de 18 peregrinos do concelho de São Brás de Alportel partiu no passado dia 1 de Maio em direcção a Fátima. A caminhada da fé deverá terminar a 12 de Maio, um dia antes dos festejos de mais um aniversário da aparição da Nossa Senhora de Fátima, a 13 de Maio de 1917.

Ainda no âmbito das celebrações do 13 de Maio, em São Brás de Alportel, um grupo de caminhantes está ainda organizar uma romaria à Capela da Nossa Senhora de Fátima, nos Parises.As inscrições encontram-se abertas até dia 12, na secretaria da Câmara Municipal, sendo o local de encontro no largo junto à Rua “Jornal O Sambrasense”, pelas 14:30 horas.

Esta peregrinação vai de encontro à tradicional Festa dos Tabuleiros Floridos, a decorrer no pitoresco sítio dos Parises, que contempla a tradicional “Procissão de velas”, em louvor à Nossa Senhora.

As iniciativas, promovidas por um grupo de peregrinosdo Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores da Câmara Municipal e Junta de Freguesia, que já haviam percorrido os caminhos da fé em 2004, contam com o apoio da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, da Junta de Freguesia, da Paróquia.

-----------------------------------------------
Ultima Hora
05/05/2006


Desde o primeiro dia, no qual pernoitaram no Ameixial, o grupo de são-brasenses já passou por Rosário, Aljustrel e Ferreira do Alentejo.

Hoje, dia 5 de Maio, os peregrinos acabarão a sua jornada no Torrão. Até ao destino final em Fátima, os caminhantes farão paragens em Santiago do Escoural, Lavre, Coruche, Tapada, Pernes e Minde.

01 maio 2006

1 de Maio: Dia Internacional do Trabalhador


O Dia Internacional do Trabalhador comemora-se a 1 de Maio. Este dia é importante porque é nesta data que lembramos o esforço humano para modificar a natureza, explorá-la para o progresso da humanidade.

No dia 1 de Maio de 1886, em Chicago (EUA), grevistas que lutavam pelo horário de 8 horas diárias de trabalho entraram em confronto com a polícia, sendo vítimas de uma repressão que provocou dezenas de mortos e centenas de detenções. Com provas falsas angariadas pelas autoridades, alguns trabalhadores foram condenados. Em 1888 o processo foi reaberto e proclamada a inocência dos réus. Em 14 de Julho de 1889 o Congresso Operário Internacional, reunido em Paris, decidiu comemorar o Dia Internacional do Trabalhador a 1 de Maio em homenagem às vítimas de Chicago.

Hoje, sob a designação do Dia do Trabalho, são feitas comemorações em quase todos os países do mundo.

Cortiça, vinho e floresta

Cortiça, vinho e floresta motivam dois dias de jornadas em São Brás

A vila de São Brás de Alportel acolhe nos próximos dias 5 e 6 de Maio duas iniciativas relacionadas com os sectores da fileira suberícola (floresta, cortiça e vinho) – as “III Jornada Técnica Cortiça – Vinho” e as “IV Jornada para a Qualidade”.

Em cima da mesa, e em debate, vão estar temas como a gestão sustentável da floresta; os desafios da qualidade e da certificação na Serra do Caldeirão; o papel do vinho na região algarvia, as perspectivas para o futuro; os projectos desenvolvidos na área da reciclagem de rolhas; a Rota da Cortiça; as experiência nesta área da vizinha Espanha; e as recentes investigações científicas que dão conta dos benefícios para a saúde (ao nível da prevenção do cancro) do consumo de vinho em rolhas de cortiça.

No dia 5 de Maio, a sessão de abertura está agendada para as 9:30 horas e vai ter a presença da Confraria dos Enófilos e Gastronómica do Algarve, da Associação dos Produtores Florestais da Serra do Caldeirão, da Associação Rota da Cortiça, da Delegação Regional do Baixo Alentejo e Algarve da Associação de Industriais e Exportadores de Cortiça, e pelo director regional de Agricultura do Algarve.

Para o dia 6, está prevista uma visita às caves de produtores de vinhos do Algarve (Quinta Morgado da Torre e Adega do Cantor). (a não perder!!!)

A iniciativa conta com a colaboração de um conjunto de entidades e associações do sector, nomeadamente a Direcção Regional de Agricultura do Algarve; o Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, a Associação Rota da Cortiça, a Confraria dos Enófilos e Gastronómica do Algarve, a Associação dos Produtores Florestais da Serra do Caldeirão, Confederação Europeia do Liège e Associação de Industriais do Corcho del Suroeste.

Para participar nas jornadas deve efectuar a sua inscrição, através da Delegação Regional do Baixo Alentejo e Algarve da Associação de Industriais e Exportadores de Cortiça, através dos seguintes contactos: 289 843 931 / Fax. 289 842 215 / E-mail: aiec.drbaa@mail.telepac.pt.

A organização agradece que no acto de inscrição, indique o seu contacto e informe do seu interesse em participar no almoço, no dia 5 de Maio e ou na visita às Caves dos Vinhos do Algarve, no dia 6.



Creative Commons License

Estado do Tempo, Gralheira, SB Alportel

E-mail

Firefox 2

Firefox 2

Solidariedade

O nosso Clone?
  • Alma-Algarvia
  • (na versão Câmara Municipal)

  • GDC Machados
  • UDR Sambrasense
  • Grátis

    Grátis

    Depósito do Calvin

    Snoopy

    Tiras do Zero

    Locations of visitors to this page

    Firefox 2

    Get Firefox!

    Alternative Browser Alliance

    StopIE.com - Stop Internet Explorer

    Powered by Blogger

    Local Blogs - Blog Top Sites

    ecoestadistica.com